UMA PROPOSTA DE CONTÍNUO PARAMÉTRICO NO PORTUGUÊS: FATOS SÓCIO-HISTÓRICOS

Ícaro Bismarck Lopes (Faculdade Pitágoras), Danniel Carvalho (UFBA)

Resumo


O presente estudo visa descrever um possível contínuo de variação de gênero do crioulo falado em Cabo Verde ao português falado atualmente no Brasil, tanto na zona urbana, quanto nas comunidades rurais afrodescendentes de Muquém (situada em Alagoas, mais especificamente em União dos Palmares, tida como o berço do Quilombo dos Palmares e de um momento histórico importante para a história do Brasil), e de Helvécia (localizada no Município de Nova Viçosa, na microrregião de Porto Seguro, extremo sul da Bahia). Com essa comparação, verificaram-se as semelhanças e diferenças na marcação do gênero, estabelecendo paralelos entre processos de mudança na morfossintaxe nessas comunidades que passaram por um amplo e profundo contato linguístico em sua história.

PALAVRAS-CHAVE: Concordância. Gênero. Contínuo. Contato.

 

Abstract

 

The present study aims to describe a possible continuum of gender variation of the Creole spoken in Cape Verde to the Portuguese currently spoken in Brazil, both in the urban and in the rural Afro-descendant communities of Muquém (located in Alagoas, more specifically in União dos Palmares, considered the birthplace of the Quilombo dos Palmares and an important moment in the history of Brazil), and Helvécia (located in Nova Viçosa, in the microregion of Porto Seguro, southern Bahia). With this comparison verifies the similarities and differences with gender marking, establishing parallels between processes of morphosyntax change in these communities, which have undergone a broad and deep language contact in their history. To do so, firstly, it is a socio-historical review of the aforementioned communities in order to build this continuum of gender marking.

KEYWORDS: Agreement. Gender. Continuous. Contact.


Referências


ALTAVILA, J. de. História da civilização das Alagoas. Maceió: EDUFAL, 1988.

ANDRADE, E. Les Îles du Cap-Vert: De la “Découverte” à l’Indépendance Nationale (1460–1975). Paris: L’Harmattan, 1996.

BAPTISTA, M. The Syntax of Cape Verdean Creole: the Sotavento varieties. Amsterdam: John Benjamins, 2002.

BAXTER, A.; LUCCHESI, D. Un paso más hacia la definición del pasado criollo del dialecto afro-brasileño de Helvécia (Bahia). In: Zimmermann, K. (Org.) Lenguas criollas de base lexical española y portuguesa. Frankfurt am Main: Vervuert, 1999. p. 119-141.

BICKERTON, D. Creole Languages and the Bioprogram. In: NEWMEYER, F. (Org.). Linguistics: The Cambridge survey. V. 2. Cambridge: Cambridge University Press, 1988.

BISMARCK LOPES, I. C. A concordância nominal de número no falar dos moradores da comunidade Muquém – AL: uma abordagem sociolinguística. Maceió, 2011. 36f. Trabalho de conclusão de curso (Graduação em Letras – Português) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Alagoas.

CUNHA, A. S. de A. Presença e contribuição das línguas negro-africanas na constituição do português do Brasil: a alegada origem crioula e a variedade popular da língua falada nas terras de preto. Anais da Abanne, São Luís, Maranhão, 2003.

DEGRAFF, M. (ed.) Language Creation and Language Change: Creolization, Diachrony and Development. Cambridge, MA: MIT Press, 1999.

FERREIRA, C. Remanescentes de um falar crioulo brasileiro. In: FERREIRA, C. et al. (Org.) Diversidade do português do Brasil. Salvador: EDUFBA, p. 21-32, 1984.

FREITAS, D. República de Palmares: pesquisa e comentários em documentos históricos do século XVII. Maceió, EDUFAL, 2004.

FUNARI, P. P. A arqueologia de Palmares: sua contribuição para o conhecimento da cultura afro-americana. In: REIS, J. J. ; GOMES, F. S. (Org.). Liberdade por um fio: a história dos quilombos no Brasil. São Paulo: Cia. das Letras, 1996.

HOLM, J. Pidgins and Creoles. Cambridge: Cambridge University Press, 1988.

HUDSON, R.A. Sociolinguistics. Cambridge: Cambridge University Press, 1980.

KIHM, A. Kriyol Syntax: The Portuguese-based Creole Language of Guinea-Bissau.

Amsterdam and Philadelphia: John Benjamins, 1994.

LOBO, T. Imigrantes portugueses na Bahia no século XIX: manutenção ou reestruturação de gramática? GELNE. Salvador: Universidade Federal da Bahia, 2000.

LOPES, N. S. Concordância nominal, contexto linguístico e sociedade. 2001. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Letras, Universidade Federal da Bahia, Salvador.

LUCCHESI, D. A variação na concordância de gênero em uma comunidade de fala afro-brasileira: Novos elementos sobre a formação do português popular do Brasil. Tese (Doutorado em Linguística) – Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2000.

______. A concordância de gênero. In: LUCCHESI, D., BAXTER, A; RIBEIRO, I. (Org.). O português afro-brasileiro. Salvador: EDUFBA, 2009.

MATTOSO, K. Família e sociedade na Bahia do século XIX. São Paulo: Corrupio/Brasília: CNPQ, 1988.

______. Bahia, século XIX: uma província no Império. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1992.

PESSOA DE CASTRO, Y. A influência das línguas africanas no português brasileiro. In: Secretaria Municipal de Educação - Prefeitura da Cidade do Salvador (Org.). Pasta de textos da professora e do professor. Salvador: Secretaria Municipal de Educação, 2005.

PRICE, R. Palmares como poderia ter sido. In: REIS, J. J. ; GOMES, F. S. (Org.). Liberdade por um fio: a história dos quilombos no Brasil. São Paulo: Cia. das Letras, 1996.

RIBEIRO, D. O povo brasileiro: a formação e o sentido do Brasil. São Paulo: Cia. das letras, 1995.

SALGADO, S.S. A concordância entre sujeito e predicativo do sujeito na fala da comunidade quilombola de Muquém AL: estudo sócio-histórico lingüístico. 2010. Dissertação (Mestrado em Linguística)– Faculdade de Letras, Universidade Federal de Alagoas, Maceió.

SANTOS, D. N. O uso da variante /e/ no final das palavras monossilábicas Deus e mais por falantes da comunidade Muquém. 36f. 2004. Trabalho de conclusão de curso (Graduação em Letras) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Alagoas, Maceió.

VIANA FILHO, L. O negro na Bahia: um ensaio clássico sobre a escravidão. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1988.

ZIMMERMANN, K. O português não-padrão falado no Brasil: a tese da variedade pós-crioula. In: Zimmermann, K. (org.) Lenguas criollas de base lexical española y portuguesa. Frankfurt am Main: Vervuert: 44


Texto completo: PDF

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

 

 

Indexadores de Base de Dados (IBDs) 
Bases de periódicos com texto completo:




Outros Indexadores e Bancos de Dados:


Library of Congress

Sudoc - Système Universitaire de Documentation

Copac – United Kingdom

Bielefeld Academic Search Engine

CRUE / REBIUN - Catálogo de la Red de Bibliotecas Universitarias

 

Google Analytics UA-142181466-1

Macabéa – Revista Eletrônica do Netlli está avaliada no extrato B2, no QUALIS/CAPES - quadriênio 2013-2016, na área de LETRAS/LINGUÍSTICA.