A MATÉRIA DO TEMPO

Valdemar Valente Junior

Resumo


Este texto tem por objetivo enfocar elementos da narrativa de cunho memorialista como um dos aspectos da contemporaneidade tentando inviabilizar seu sentido especificamente histórico para situá-la em um plano de ampliação de seus matizes ficcionais. Desse modo, a pluralidade inerente ao tempo presente constitui-se em contraponto à perspectiva memorialista, interferindo no modo através do qual a recuperação do passado pode representar uma via de mão dupla. Nesse aspecto, Chove sobre minha infância, de Miguel Sanches Neto, insere-se como obra que dialoga com as diferentes possibilidades de caracterização da produção narrativa contemporânea na busca por amplos caminhos de expressão.

Referências


SANCHES NETO, Miguel. Chove sobre minha infância. Rio de Janeiro: Record, 2015, 254 p.


Texto completo: PDF

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

 

 

Indexadores de Base de Dados (IBDs) 
Bases de periódicos com texto completo:




Outros Indexadores e Bancos de Dados:


Library of Congress

Sudoc - Système Universitaire de Documentation

Copac – United Kingdom

Bielefeld Academic Search Engine

CRUE / REBIUN - Catálogo de la Red de Bibliotecas Universitarias

 

Google Analytics UA-142181466-1

Macabéa – Revista Eletrônica do Netlli está avaliada no extrato B2, no QUALIS/CAPES - quadriênio 2013-2016, na área de LETRAS/LINGUÍSTICA.