SOCIOLINGUÍSTICA, UMA DISCIPLINA HISTÓRICA: RETROSPECTIVA, DESENVOLVIMENTOS E APLICAÇÕES

Jacyra Andrade Mota (UFBA), Amanda dos Reis Silva (UFBA)

Resumo


Este artigo apresenta a Sociolinguística, entendendo-a, inicialmente, como uma disciplina histórica, de acordo com Mattos e Silva (1988) apresenta com relação à Linguística Histórica latu senso. Toma como enfoque principal a Sociolinguística Variacionista, tal como desenvolvida a partir dos estudos de William Labov, nos Estados Unidos. Nesse sentido, em um primeiro momento, retoma o alvorecer dessa área dos estudos linguísticos, partindo das contribuições dos estudos dialetais, para a configuração de uma perspectiva que ressignifica epistemologicamente a percepção da linguagem humana, enquanto um sistema heterogêneo. São apresentadas não somente compreensões em torno da concepção de língua para a Sociolinguística, mas ao lugar estabelecido por ela para os processos de variação e mudança linguísticas, vistos como centrais em suas análises. Expõem-se as diferentes tendências assumidas pela Sociolinguística Variacionista, ao longo de sua história (cf. ECKERT, 2012).  Num segundo momento, comenta-se o histórico da Sociolinguística no Brasil, resgatando o desenvolvimento do Projeto NURC e a concepção e contribuição de outros grandes projetos da área, como o PEUL, em diferentes partes do país. Por fim, situa-se a Sociolinguística no Brasil hoje, entendendo-a como uma disciplina diversa, para qual se registra uma pluralidade de perspectivas na interpretação da variação linguística. Apresentam-se e exemplificam-se, a esse propósito, a Sociolinguística Paramétrica e a Sociolinguística Educacional.

Palavras-chave


Sociolinguística. Variação linguística. Mudança linguística.

Referências


ALTENHOFEN, Cleo V.; KLASSMANN, Mário S. (Org.). Atlas Linguístico Etnográfico da Região Sul do Brasil (ALERS). v. I - Cartas fonético-fonológicas. 2. ed., v. II – Cartas Semântico-Lexicais. Porto Alegre/Florianópolis/Curitiba: UFRGS/ UFSC/UFPR, 2011.

AMARAL, Amadeu. O dialeto caipira. São Paulo: HUICITEC; Secretaria de Ciência e Tecnologia, 1976.

ARAÚJO, Aluiza Alves de. O Projeto norma oral do português popular de Fortaleza – NORPOFOR. In: XV Congresso Nacional de Linguística e Filologia. Cadernos do CNLF, Anais... v. XV, n. 5, t. 1. Rio de Janeiro: CiFEFiL, 2011. p. 835 – 845. Disponível em www.filologia.org.br/xv_cnlf/tomo_1/72.pdf. Acesso em 04.abr.2019.

ARAÚJO, Aluiza Alves de; VIANA, Rakel B. de Macêdo; PEREIRA, Maria Lidiane de Sousa. O Projeto Descrição do português oral culto de Fortaleza - PORCUFORT: das origens aos dias atuais. Sociodialeto, v. 8, n. 24, p. 181, mar 2018. Disponível em http://sociodialeto.ojs.galoa.com.br/index.php/sociodialeto/article/view/39/91. Acesso em 27. Abr.2019.

BALBI, Adrien. Atlas ethnographique du Globe, ou, Classification des peuples anciens et modernes d’aprés leurs langues : précédé d'un discours sur l'utilité et l'importance de l'étude des langues appliquée a plusieurs branches des connaissances humaines (...): avec environ sept cents vocabulaires des principaux idiomes connus, et suivi du tableau physique, moral et politique des cinq parties du monde : dédié à S.M. l'Empereur Alexandre. Paris: Chez Rey et Gravier, 1826.

BISOL, Leda; MENON, Odete P. da Silva; TASCA, Maria. Varsul: um Banco de Dados. Disponível em http://www.varsul.org.br/?modulo=secao&id=9. Acesso em 01 abr. 2019.

BORTONI-RICARDO, Stella Maris. Educação em língua materna: a Sociolinguística na sala de aula. 1.ed. 6. reimp. São Paulo: Parábola, 2012.

BORTONI-RICARDO, Stella Maris. Manual de Sociolinguística. São Paulo: Contexto, 2014.

BRITTO, Helena de S.; KATO, Mary; NASCIMENTO, Milton do; NICOLAU, Eunice; BERLINCK, Rosane. Padrões de predicação no português falado no Brasil. In: KATO, Mary (Org.). Gramática do Português Falado: volume V, convergências. 2.ed. Campinas: UNICAMP, 2002. p. 205-269.

CHOMSKY, Noam. Novos horizontes no estudo da linguagem e da mente. Trad. de Marco Antônio Sant’Anna. São Paulo: Editora UNESP, 2005.

CYRANKA, Lúcia. Sociolinguística aplicada à educação. In: MOLLICA, Maria Cecília; FERRAREZI JUNIOR, Celso. Sociolinguística, sociolinguísticas: uma introdução. São Paulo: Contexto, 2016. p.166-176.

DUARTE, Maria Eugênia. Sociolinguística “Paramétrica”. In: MOLLICA, Maria Cecília; FERRAREZI JUNIOR, Celso. Sociolinguística, sociolinguísticas: uma introdução. São Paulo: Contexto, 2016. p.33-44.

ECKERT, Penélope. Three Waves of Variation Study: The Emergence of Meaning in the Study of Sociolinguistic Variation. Annual reviews, v.41, jun. 2012, p.87-100.

FARACO, Carlos Alberto. Apresentação de um clássico. In: WEINREICH, Uriel; LABOV, William; HERZOG, Marvin. Fundamentos empíricos para uma teoria da mudança lingüística. Tradução de Marcos Bagno. São Paulo: Parábola, 2006 [1968]. p.9-29.

FERNÁNDEZ, Francisco Moreno. Principios de sociolingüística y sociología del linguaje. Barcelona: Editorial Ariel,1998.

FREITAG, Raquel Meister Ko; MARTINS, Marco Antônio; TAVARES, Maria Alice. Bancos de dados sociolinguísticos do Português Brasileiro e os estudos de terceira onda: potencialidades e limitações. Alfa, São Paulo, v.56, n.3, 2012, p.917-944.

HORA, Dermeval da; PEDROSA, Juliene. L. R. (Org.). Projeto Variação Linguística no Estado da Paraíba VALPB, 5 v. João Pessoa: Idéia, 2001.

KOCH, Walter; KLASSMANN, Mário S.; ALTENHOFEN, Cléo V. Atlas Lingüístico Etnográfico da Região Sul do Brasil (ALERS), v. I – Introdução, v. II – Cartas fonético-fonológicas. Porto Alegre/Florianópolis/Curitiba: UFRGS/ UFSC/UFPR, 2002.

LABOV, William. Padrões sociolinguísticos. Tradução de Marcos Bagno, M. Marta Pereira Scherre e Caroline R. Cardoso. Rio de Janeiro: Parábola, 2008 [1972].

LABOV, William. Principles of linguistic change. v. 1: Internal factors. Cambridge: Blackwell, 1994.

LABOV, William. The social stratification of english in New York City. 2.ed. Nova York: Cambridge University Press, 2006 [1966].

LOPE BLANCH, Juan. La Sociolingüística y la Dialectología Hispánica. In: ALVAR, Manuel; LOPE BLANCH, Juan (Org.). En torno a la Sociolingüística. Cuadernos de Lingüística. México: Instituto de Investigaciones Filológicas, Universidad Nacional Autónoma de México, 1978. p. 33-58.

LOPES, Norma da Silva; SOUZA, Constância Borges de: SOUZA, Emília Helena Portella Monteiro de (Org.). Um estudo da fala popular de Salvador - PEPP. Salvador: Quarteto, 2009.

LUCCHESI, Dante. A realização do sujeito pronominal. In: LUCCHESI, Dante; BAXTER, Alan; RIBEIRO, Ilza (Org.). O Português Afro-Brasileiro. Salvador: EDUFBA, 2009. p.167-183.

MATTOS E SILVA, Rosa Virgínia. Caminhos da lingüística histórica: ouvir o inaudível. São Paulo: Parábola, 2008.

MATTOS E SILVA, Rosa Virgínia. Fluxo e refluxo: uma Retrospectiva da Lingüística Histórica no Brasil. D.E.L.T.A, v.4, n.1, p.85-113, 1988.

MENDES, Ronald Beline. A terceira onda da Sociolinguística. In: FIORIN, José Luiz (Org.). Novos caminhos da Linguística. São Paulo: Contexto, 2017. p.103-123.

MOLLICA, Maria Cecília; FERRAREZI JUNIOR, Celso. Apresentação. In: MOLLICA, Maria Cecília; FERRAREZI JUNIOR, Celso. Sociolinguística, sociolinguísticas: uma introdução. São Paulo: Contexto, 2016. p.9-12.

NASCENTES, Antenor. Études dialectologiques du Brésil. ORBIS - Bulletin International de Documentation Linguistique, v.1, n.1, 1952. p. 181-184.

NURC DIGITAL. Disponível em : http://www.fale.ufal.br/projeto/nurcdigital/. Acesso em 01 abr. 2019.

PHPB-BA. Disponível em https://sites.google.com/site/corporaphpbba1/corpus-diferencial/lingua-falada-culta-xx-2-ufb-a. Acesso em 01 abr. 2019.

PROJETO VERTENTES. Disponível em: http://www.vertentes.ufba.br/1a-etapa/geral. Acesso em 29. abr.2019

PROJETO NORMA LINGUÍSTICA URBANA CULTA – RJ. Disponível em http://www.nurcrj.letras.ufrj.br/. Acesso em 01 abr. 2019.

PROJETO VARSUL. Disponível em http://www.varsul.org.br/?modulo=secao&id=9. Acesso em 27. abr. 2019.

ROMAINE, Suzane. The role of children in linguistic change. In: BREIVIK, Leiv E.; JAHR, Ernst. Language change: contributions to the study of its causes. Berlin / New York: Mouton de Gruytier, 1989. p.199-226.

ROSSI, Nelson. Atlas prévio dos falares baianos. Rio de Janeiro: Ministério de Educação e Cultura - Instituto Nacional do Livro, 1963.

SAUSSURE, Ferdinand de. Curso de Linguística Geral. 28.ed. São Paulo: Cultrix, 2012.

SCHERRE, Maria Marta Pereira. Breve histórico do Programa de Estudos sobre o Uso da Língua. In: SILVA, Giselle Machline de Oliveira e; SCHERRE, Maria Marta Pereira (Org.). Padrões sociolingüísticos: análise de fenômenos variáveis do português falado na cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro; UFRJ, 1996. p. 27-36.

SIMÕES, Luciene Juliano; SOARES, Simone Mendonça. Concordância nominal na fala infantil: implicações para a escola. In: ZILLES, Ana Maria Stahl; FARACO, Carlos Alberto (Org.). Pedagogia da variação linguística: língua, diversidade e ensino. São Paulo: Parábola, 2015. p.123-144.

TARALLO, Fernando. Por uma Sociolinguística românica “Paramétrica”: fonologia e sintaxe. Cadernos de Linguística e Teoria da Literatura, UFMG, n. 13, p.51-83, 1985.

WEINREICH, Uriel; LABOV, William; HERZOG, Marvin. Fundamentos empíricos para uma teoria da mudança lingüística. Tradução de Marcos Bagno. São Paulo: Parábola, 2006 [1968].


Texto completo: PDF

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

 

 

Indexadores de Base de Dados (IBDs) 
Bases de periódicos com texto completo:



 

Outros Indexadores e Bancos de Dados:


Library of Congress

Sudoc - Système Universitaire de Documentation

Copac – United Kingdom

Bielefeld Academic Search Engine

CRUE / REBIUN - Catálogo de la Red de Bibliotecas Universitarias

 

Google Analytics UA-142181466-1

Macabéa – Revista Eletrônica do Netlli está avaliada no extrato B2, no QUALIS/CAPES - quadriênio 2013-2016, na área de LETRAS/LINGUÍSTICA.