LIVRO INFANTIL DIGITAL: A MULTISEMIOSE E A CONSTRUÇÃO DE SENTIDO EM PODE SER

Cíntia Roberto Marson (UEM), Juliana Garcia de Mendonça Hanke (UEM)

Resumo


Sob a perspectiva da multimodalidade, este artigo tem como objetivo analisar um livro infantil digital, desenvolvido pelo instituto Itaú Cultural, intitulado Pode ser, escrito por Adriana Falcão e ilustrado por Willian Santiago. Buscamos analisar os elementos multissemióticos presentes na narrativa – texto verbal, som, imagem e cor – e de que maneira tais elementos, em conjunto, colaboram para a construção de sentido do texto. Esta obra foi produzida para ser lida exclusivamente no celular, o que ressalta a necessidade de criar condições favoráveis para que as crianças desenvolvam habilidades e competências específicas a fim de se apropriarem efetivamente de novas práticas de leitura e escrita do ciberespaço. Discutimos, então, os tipos de leitor, enfatizando o surgimento do leitor ubíquo (SANTAELLA, 2014), e apontamos a necessidade e importância de um letramento multimidiático (LEMKE, 2010) para que haja a apreensão e fruição apropriadas dessa literatura digital.


Palavras-chave


Livro infantil digital; Multimodalidade; Letramento multimidiático.

Referências


AMBROSE, Gavin; HARRIS, Paul. Fundamentos de Design Criativo. São Paulo: Bookman, 2009.

CHARTIER, Roger. Os desafios da escrita. Tradução de Fulvia M. L. Moretto. São Paulo: Editora UNESP, 2002.

IEDEMA, Rick. Multimodality, resemiotization: extending the analysis of discourse as multi-semiotic practice. Visual Communication, v. 2, n. 1, p. 29-57, 2003.

FARINA, Modesto; PEREZ, Clotilde; BASTOS, Dorinho. Psicodinâmica das cores em comunicação. 5. ed. São Paulo: E. Blücher, 2006.

FALCÃO, Adriana. Pode ser. Ilustração Willian Santiago. Disponível em: . Acesso em: 11 mar. 2019.

JUNG, N. M. O letramento como prática social. In: ______. Identidades sociais na escola: gênero, etnicidade, língua e as práticas de letramento em uma comunidade rural multilíngüe. 2003. Tese (Doutorado em Letras) – Instituto de Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2003. p. 58-71.

LANKSHEAR, Colin; KNOBEL, Michele. From ‘reading’ to ‘new’ literacies. In: LANKSHEAR, Colin; KNOBEL, Michele. New Literacies: Everyday Practices and Classroom Learning. 2. ed. Maidenhead; New York: Open UP, 2006. p. 7-28.

LEMKE, J. L. Letramento metamidiático: transformando significados e mídias. Trabalhos em lingüística aplicada, Campinas, v. 49, n. 2, p. 455-479, jul./dez. 2010. Disponível em: . Acesso em: 10 jan. 2019.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. Tradução de Carlos Irineu da Costa. São Paulo: Ed. 34, 1999.

OLIVEIRA, Rui de. Pelos Jardins Boboli: reflexões sobre a arte de ilustrar livros para crianças e jovens. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2008.

SANTAELLA, Lucia. O leitor ubíquo e suas consequências para a educação. In: TORRES, Patricia Lupuion. (Org.). Complexidade: Redes de Conexões na produção do conhecimento. Curitiba: Kairós Edições, 2014. p. 27-44.

SOARES, Magda. Novas práticas de leitura e escrita: letramento na cibercultura. Educação e Sociedade, Campinas, v. 23, n. 81, p. 143-160, dez. 2002. Disponível em:. Acesso em: 20 jan. 2019.


Texto completo: PDF

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

 

 

Indexadores de Base de Dados (IBDs) 
Bases de periódicos com texto completo:



 

Outros Indexadores e Bancos de Dados:


Library of Congress

Sudoc - Système Universitaire de Documentation

Copac – United Kingdom

Bielefeld Academic Search Engine

CRUE / REBIUN - Catálogo de la Red de Bibliotecas Universitarias

 

Google Analytics UA-142181466-1

Macabéa – Revista Eletrônica do Netlli está avaliada no extrato B2, no QUALIS/CAPES - quadriênio 2013-2016, na área de LETRAS/LINGUÍSTICA.