A PRESENÇA DE MEMES EM AULAS ONLINE DE LÍNGUA MATERNA: CONSIDERAÇÕES SOBRE MULTILETRAMENTOS E PRÁTICAS DE LEITURA DE ENUNCIADOS VERBO-VISUAIS

Marina Totina de Almeida Lara (UNESP)

Resumo


Novas práticas de ensino, especialmente em ambiente digital, abarcam gêneros do discurso compostos por diferentes materialidades, que convocam novos e multiletramentos. Neste artigo, buscamos refletir sobre o conceito de letramento e de multiletramento, pensando em práticas de leitura e escrita em ambiente digital em atividades de ensino de língua materna. O artigo tem como embasamento teórico os estudos sobre letramento e os estudos de Bakhtin acerca da linguagem. Esperamos contribuir com uma reflexão sobre práticas de leitura de gêneros digitais, especialmente de gêneros compostos por materialidades verbo-visuais, como os memes.

 

Palavras-chave: Multiletramentos. Enunciado verbo-visual. Meme.


Referências


BAKHTIN, M. Estética da Criação Verbal. Tradução de Paulo Bezerra. 6. ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2011.

BARROS, C. G. P.; COSTA, E. P. M. Os gêneros multimodais em livros didáticos: formação para o letramento visual? Bakhtiniana, São Paulo, v. 7, n. 2, p. 38-56, Jul./Dez. 2012.

BRAIT, B. Contribuições Bakhtinianas para a análise do verbo-visual. In: BASTOS, N. B. (Org.). Língua Portuguesa: lusofonia-memória e diversidade cultural. São Paulo: EDUC, 2008. p. 257-269.

BRAIT, B. A palavra mandioca do verbal ao verbo-visual. Bakhtiniana. São Paulo, v. 1, n. 1, p. 142-160, 1º sem. 2009.

BRAIT, B. Tramas verbo-visuais da linguagem. In: ______. Literatura e outras linguagens. São Paulo: Contexto, 2010a. p. 193-228.

BRAIT, B. (Org.). Bakhtin: outros conceitos-chave. 2. reimpr. São Paulo: Contexto, 2010b.

BRAIT, B. Polifonia arquitetada pela citação visual e verbo-visual. Bakhtiniana, São Paulo, v. 1, n. 5, p. 183-196, 1º sem. 2011.

BRAIT, B. Olhar e ler: verbo-visualidade em perspectiva dialógica. Bakhtiniana, São Paulo, v. 8, n. 2, p. 43-66, Jul./Dez. 2013

BUZATO, M. K. O letramento eletrônico e o uso do computador no ensino de língua estrangeira: contribuições para a formação de professores. 2001. 189f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada) – Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem, Campinas, SP, 2001.

DAWKINS, R. The selfish gene. Oxford: Oxford University Press, 1979.

DESCONVERSA – O BLOG DO DESCOMPLICA. Aula de redação. Disponível em: . Acesso em: 16 jan. 2017a.

DESCONVERSA – O BLOG DO DESCOMPLICA. Infinitivo. Disponível em: . Acesso em: 16 jan. 2017b.

GRILLO, S. Fundamentos bakhtinianos para análise de enunciados verbo-visuais. Filol. linguíst. port., n. 14 (2), p. 235-246, 2012.

KLEIMAN, A. B. Letramento na contemporaneidade. Bakhtiniana, São Paulo, v. 9, n. 2, p. 72-91, Ago./Dez. 2014.

LISBOA, L. V. Memes jurisprudências no Facebook do STJ: a constituição dialógica de um gênero verbo-visual. 2015. 105f. Dissertação (Mestrado em Estudos da Linguagem) – Universidade Federal de Goiás, Catalão, 2015.

MARCUSCHI, L. A; XAVIER, A. C. Hipertexto e gêneros digitais: novas formas de construção de sentido. 3.ed. São Paulo: Cortez, 2010.

ROJO, R.; BARBOSA, J. P. Hipermodernidade, multiletramentos e gêneros discursivos. São Paulo: Parábola Editorial, 2015.

ROJO, R.; MOURA, E. (Org). Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola, 2012

ROJO, R. et al. Escol@ conectada: os multiletramentos e as TICs. São Paulo: Parábola, 2013.

SOARES, M. Letramento: um tema em três gêneros. Belo Horizonte: Autêntica, 1998.

SOARES, M. Novas práticas de leitura e escrita, letramento na cibercultura. Educ. Soc., Campinas, v. 23, n. 81, p. 143-160, dez. 2002.

SOARES, M. Letramento e alfabetização: as muitas facetas. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro, n. 25, p. 5-17, abr. 2004.

TFOUNI, L. V. Letramento e alfabetização. 9. ed. São Paulo: Cortez, 2010.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

QUALIS/CAPES - quadriênio 2013-2016B2 - ÁREA DE LINGUÍSTICA E LITERATURA

 

Indexadores de Base de Dados (IBDs) 
Bases de periódicos com texto completo: