Uma reunião teórica entre língua, linguagem e linguística: entrelaçando olhares para a formação do professor e o ensino de Língua Portuguesa

Francisco Renato Lima

Resumo


Neste texto, apresenta-se uma discussão sobre língua, linguagem e linguística, a partir de dois aspectos: a preocupação com a formação do professor e o ensino de Língua Portuguesa, partindo do pressuposto de que o olhar para a abstração teórica deve ser um norte para orientar as práticas de sala de aula e de valorização da língua materna. A base metodológica do estudo advém de uma pesquisa bibliográfica, de abordagem qualitativa, amparada em teóricos do campo da Linguística, tendo como foco, pensar a aplicação de suas formulações teóricas aos contextos de ensino e aprendizagem da língua materna. Espera-se que essa discussão possibilite um momento didático que contribua para o enfrentamento as situações que fazem parte da formação inicial e continuada do professor de Língua Portuguesa, na reflexão sobre a formação e a prática de ensino da língua materna, no contexto da educação brasileira.

PALAVRAS-CHAVE: Língua. Linguagem. Linguística. Formação do professor. Ensino da língua Portuguesa.


Referências


ANTUNES, Irandé. Aula de português: encontro e interação. São Paulo: Parábola, 2003.

BAKHTIN, Mikhail (VOLOCHINOV, Valentin Nikolaevich). Marxismo e filosofia da linguagem. Trad. Michel Lahud e Yara Frateschi Vieira. 13. ed. São Paulo: Hucitec, 2009.

______. Estética da criação verbal. Tradução Paulo Bezerra. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

BENVENISTE, Émile. Problemas de linguística geral I. 5. ed. São Paulo: Pontes, 2005.

______. Problemas de linguística geral II. 2. ed. São Paulo: Pontes, 2006.

BEZERRA, Maria Auxiliadora. Ensino de língua portuguesa e contextos teórico-metodológicos. In: DIONÍSIO, Ângela Paiva; MACHADO, Anna Rachel; BEZERRA, Maria Auxiliadora. (Org.). Gêneros textuais & ensino. São Paulo: Parábola, 2010. p. 39-49.

BORGES NETO, José. Ensaios de filosofia da linguagem. São Paulo: Parábola, 2004.

BRASIL, Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quatro ciclos do ensino fundamental: Língua Portuguesa. Brasília: MEC/SEF, 1998.

CUNHA, Maria Angélica Furtado da; COSTA, Marcos Antonio; CEZARIO, Maria Maura. Pressupostos teóricos fundamentais. In: CUNHA, Maria Angélica Furtado da; OLIVEIRA, Mariangela Rios de; MARTELOTTA, Mário Eduardo (Org.). Linguística funcional: teoria e prática. Rio de Janeiro: DP&A, 2003. p. 29-55.

FARACO, Carlos Alberto. Estudos pré-saussurianos. In: MUSSALIM, Fernanda; BENTES, Anna Christina (Org.). Introdução à Linguística 3: fundamentos epistemológicos. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2011. p. 27-52.

______; CASTRO, Gilberto de. Por uma teoria linguística que fundamente o ensino de língua materna (ou de como apenas um pouquinho de gramática nem sempre é bom). Educar em Revista, Curitiba, v. 15, p. 179-194, 2000. Disponível em: < http://www.educaremrevista.ufpr.br/arquivos_15/faraco_castro.pdf >. Acesso em: 10 mar. 2016.

______. Ensinar X não ensinar gramática: ainda cabe esta questão?. Calidoscópio, São Leopoldo (RS), Vol. 4, n. 1, p. 15-26, jan/abr 2006. Disponível em: < http://revistas.unisinos.br/index.php/calidoscopio/article/view/5983 >. Acesso em: 11 mar. 2016.

FILLMORE, C. J. Some thoughts on the boundaries and components of linguistics. In: BEVER, T. G.; CARROLL, J. M.; MILLER, L. A. (Org.) Talking minds: the study of the cognitive sciences. Cambridge: MIT Press, 1984.

ILARI, Rodolfo. O estruturalismo linguístico: alguns caminhos. In: MUSSALIM, Fernanda; BENTES, Anna Christina (Org.). Introdução à Linguística 3: fundamentos epistemológicos. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2011. p. 53-92.

KLEIMAN, Angela B. A formação do professor: perspectivas da linguística aplicada. Campinas: Mercado de Letras, 2001.

______. Preciso ensinar o letramento? Não basta saber a ler e escrever? Série Linguagem e letramento em foco. Linguagem nas series iniciais. Cefiel/IEL/Unicamp, 2005. Disponível em: < http://www.iel.unicamp.br/cefiel/alfaletras/biblioteca_professor/arquivos/5710.pdf >. Acesso em: 18 jun. 2015.

KOCH, Ingedore Grunfeld Villaça. Linguística textual: um balanço e perspectivas. In: TRAVAGLIA, Luiz Carlos (Org.). Encontro na linguagem: estudos linguísticos e literários. Uberlândia: UDUFU, 2006.

MALMBERG, Bertil. As novas tendências da linguística: uma orientação a linguística moderna. Tradução Francisco da Silva Borba. 2. ed. São Paulo: Nacional, 1974.

MAINGUENEAU, Dominique. Termos-chave da análise do discurso. Tradução Márcio Venício Barbosa, Maria Emília Amarante Torres Lima. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1998.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Nove teses para a reflexão sobre a valorização da fala no ensino de língua: a propósito dos “parâmetros curriculares no ensino de língua portuguesa de 1ª a 4ª série do 1º grau menor”. Revista da ANPOLL, nº 4, p. 137-156, jan./jun. 1998. Disponível em: < http://revistadaanpoll.emnuvens.com.br/revista/article/view/284/297 >. Acesso em: 13 mar. 2016.

MARTELOTTA, Mário Eduardo; AREAS, Eduardo Kenedy. A visão funcionalista da linguagem no século XX. In: CUNHA, Maria Angélica Furtado da; OLIVEIRA, Mariangela Rios de; MARTELOTTA, Mário Eduardo (Org.). Linguística funcional: teoria e prática. Rio de Janeiro: DP&A, 2003. p. 17-28.

MARTINET, André. Elementos de linguística geral. Coimbra: Almedina Sá da Costa, 1975.

MOITA LOPES, Luiz Paulo da. (Org.). Por uma Linguística Aplicada Indisciplinar. São Paulo: Parábola, 2006.

NEVES, Maria Helena de Moura. Gramática de usos do português. São Paulo: UNESP, 2000.

______. Maria Helena de Moura Neves: em defesa de uma gramática que funcione. In: [Entrevista] UNESPCIÊNCIA, dez. 2009. Entrevista concedida a Luciana Christante. Disponível em: < http://www.editoracontexto.com.br/blog/wp-content/uploads/2009/Maria%20Helena%20de%20Moura%20Neves.PDF >. Acesso em: 12 mar. 2016.

PAVEAU, Marie-Anne; SARFATI, Georges-Elia. Os estruturalismos funcionais. In: ______; ______. As grandes teorias da linguística: da gramática comparativa à pragmática. São Carlos: Claraluz, 2006a. p. 115-134.

______; ______. Formalismos: do descritivismo ao gerativismo. In: ______; ______. As grandes teorias da linguística: da gramática comparativa à pragmática. São Carlos: Claraluz, 2006b. p. 147-172.

______; ______. As linguísticas enunciativas. In: ______; ______. As grandes teorias da linguística: da gramática comparativa à pragmática. São Carlos: Claraluz, 2006c. p. 173-190.

RAPOSO, Eduardo Paiva Tavares. Teoria da gramática: a faculdade da gramática. Lisboa: Caminhos, 1992.

ROJO, Roxane. (Org.). A prática de linguagem em sala de aula: praticando os PCNs. São Paulo-Campinas: EDUC-Mercado de Letras, 2000.

SANTOS, Carmi Ferraz. A formação em serviço do professor e as mudanças no ensino de língua portuguesa. ETD – Educação Temática Digital, Campinas, v.3, n.2, p.27-37, jun. 2002. Disponível em: < http://ojs.fe.unicamp.br/ged/etd/article/download/1794/1636 >. Acesso em: 13 mar. 2016.

SCHMITZ, John Robert. Linguística aplicada e o ensino de línguas estrangeiras no Brasil. Alfa, São Paulo. 36: p. 215-237, 1992. Disponível em: < http://seer.fclar.unesp.br/alfa/article/download/3921/3602 >. Acesso em: 29 jan. 2016.

SOARES, Magda. Português na escola: história de uma disciplina curricular. In: BAGNO, Marcos (Org.). Linguística da norma. 3. ed. São Paulo: Loyola, 2012. p. 141-161.

______. Linguagem e escola: uma perspectiva social. 17. ed. São Paulo: Ática, 2008.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

QUALIS/CAPES - quadriênio 2013-2016B2 - ÁREA DE LINGUÍSTICA E LITERATURA

 

Indexadores de Base de Dados (IBDs) 
Bases de periódicos com texto completo: