ENSINO DA LITERATURA: TECNOLOGIA, CÂNONE LITERÁRIO E PROFESSORES-GRIOTS

Adaylson Wagner Sousa de Vasconcelos (UFPB), Vanessa Riambau Pinheiro (UFPB)

Resumo


O propósito deste artigo é investigar questões concernentes ao ensino da literatura em sala de aula, a fim de problematizar acerca das principais dificuldades encontradas pelos docentes que se dedicam a esta disciplina, bem como refletir a respeito da pertinência dos métodos educativos utilizados e das possibilidades de promover a disseminação da formação de leitores em potencial, a partir do real envolvimento do educando neste processo de aprendizado. Utilizaremos, como referencial teórico, Aguiar e Bordini (1988), Cosson (2012) e Zilberman (2003), entre outros.

Palavras-chave: Ensino. Literatura. Cânone. Tecnologia. Aprendizado.


Referências


AGUIAR, Vera Teixeira de; BORDINI, Maria da Glória. Literatura – a formação do leitor: alternativas metodológicas. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1988.

BOSI, Alfredo. Dialética da colonização. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: língua portuguesa. v. 02, 1997.

BRASIL. Secretaria de Educação Básica. Referencial curricular nacional para a Educação Infantil. v. 02. Brasília, 1998.

BRASIL. Secretaria de Educação Básica. Orientações curriculares para o Ensino Médio. Linguagens, códigos e suas tecnologias. v. 01. Brasília, 2006.

CANDIDO, Antonio. Literatura e Sociedade: estudos de teoria e história literária. 11. ed. Rio de Janeiro: Ouro sobreAzul, 2010.

COLOMBANI, María Cecilia. Homer: una introducción crítica. Buenos Aires: Santiago Arcos editor, 2005.

COSSON, Rildo. Letramento Literário: teoria e prática. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2012.

DE LIMA, Mestre Alcides; DA COSTA, Ana Carolina Francischette. Dos griots aos Griôs: a importância da oralidade para as tradições de matrizes africanas e indígenas no Brasil. Revista Diversitas, São Paulo, n. 3, p. 216-245, abril. 2016. ISSN 2318-2016. Disponível em: < https://www.revistas.usp.br/diversitas/article/view/113893 >. Acesso em: 16 janeiro 2018.

GOLEMAN, Daniel. Foco: a atenção e seu papel fundamental para o sucesso. Tradução de Cássia Zanon. Rio de Janeiro: Objetiva, 2013.

HEIDEGGER, Martin. Serenidade. 1. ed. Rio de Janeiro: Instituto Piaget, 2001.

HEIDEGGER, Martin. Ensaios e conferências. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

LLOSA, Mário Vargas. A verdade das mentiras. Tradução de Cordelia Magalhães. São Paulo: Editora Arx, 2004.

MORAES, Alexandre Santos de. A Palavra de quem canta: aedos e divindades nos períodos homérico e arcaico gregos. Dissertação (Mestrado em História Comparada) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Filosofia e Ciências Sociais, Rio de Janeiro, 2009.

ONDJAKI. Os Transparentes. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

PERRONE-MOISÉS, Leyla. “Por amor à arte”. Estudos Avançados, São Paulo, v. 19, n. 55, p. 335-348, 2005.

PETRUCCI, Armando. Ler por ler: um futuro para a leitura. In: CHARTIER, R.; CAVALLO, G. (Org.). História da leitura no mundo ocidental II. São Paulo: Ática, 1999. p. 203-227.

SARAIVA, Juracy; MUGGE, Ernani. Literatura na escola: propostas para o ensino fundamental. Porto Alegre: Artmed, 2006.

SOARES, Magda Becker. As condições sociais da leitura: uma reflexão em contraponto. In: ZILBERMAN, Regina; SILVA, Ezequiel Theodoro (Org.). Leitura perspectivas interdisciplinares. São Paulo: Editora Ática, 1988.

ZILBERMAN, Regina. A literatura infantil na escola. São Paulo: Global, 2003.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

QUALIS/CAPES - quadriênio 2013-2016B2 - ÁREA DE LINGUÍSTICA E LITERATURA

 

Indexadores de Base de Dados (IBDs) 
Bases de periódicos com texto completo: