VOZES FEMININAS DA AMÉRICA: A POÉTICA SOCIAL DE GABRIELA MISTRAL E MARIA FIRMINA DOS REIS

Michelly Cristina Alves Lopes (UFES), Patrícia Rosicleia da Silva Sodré (UFES), Maria Mirtis Caser (UFES)

Resumo


Por muito tempo, apenas os homens brancos, reconhecidos socialmente, tiveram espaço na Literatura produzida na América Latina, tanto como escritores quanto como leitores. Essa realidade passa a se modificar a partir do momento em que autoras, através de seus escritos, alcançam notoriedade no universo literário, a exemplo de Maria Firmina dos Reis, que começa a produzir e publicar no Brasil no século XIX, sendo considerada a primeira romancista a escrever uma obra com viés abolicionista no país. O mesmo ocorre, no início do XX, em terras andinas, com a chilena Gabriela Mistral, que passa a publicar sua poesia carregada de sentimentos e criticidade como forma de protesto contra o sistema político e capitalista de seu país e, como resultado da força de seus escritos, é contemplada com o primeiro Nobel de Literatura na América Latina. As obras dessas escritoras desnudam suas histórias e vivências no continente e lhe servem como instrumento de crítica e emancipação social, em defesa do africano escravizado no Brasil, do povo campesino e indígena do Chile, assim como das mulheres dos dois países. Por meio da consciência crítica, as autoras utilizam a composição literária para expressar seu posicionamento diante da condição precária dos povos de sua terra natal, o que chama atenção pela sua postura em uma época em que não havia espaço para a voz feminina. Para fundamentar o contexto histórico e cultural, em especial no que diz respeito à inserção da mulher no mundo das letras e na sociedade latino-americana do fim o do século XIX ao início do século XX, recorre-se a alguns críticos literários como ponto de partida para o embasamento do trabalho, entre os quais estão Bella Jozef (1982), Jaime Quezada (1994), Regina Dalcastagnè (2012), assim como os pressupostos teóricos da crítica feminista, tais como: Luiza Lobo (1993), Susana Bornéo Funk (2013) e Djamila Ribeiro (2017).


Referências


DALCASTAGNÈ, Regina. A personagem do romance brasileiro contemporâneo: 1990-2004. Revista Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, Brasília, n. 26, p. 13-71, jul./dez. 2005. Disponível em: . Acesso em: 05 abr. 2018

______. Literatura brasileira contemporânea: um território contestado. Vinhedo: Horizonte; Rio de Janeiro: Editora da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 2012

JOZEF, Bella. A máscara e o enigma. Rio de Janeiro: Francisco Alves Editora S.A., 1986.

______. História da Literatura Hispano-Americana.2. ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves Editora S.A., 1982.

LOBO, Luiza. A literatura de autoria feminina na América Latina. Disponível em: https://pt.scribd.com/document/190153887/A-Literatura-de-Autoria-Feminina-Na-America-Latina acesso em: 03 de dezembro de 2018.

MISTRAL, Gabriela. Desolación. 2.ed. Santiago de Chile: Editorial Andrés Bello, 1979.

______. Poesia y prosa. Selección y notas de Floridor Pérez. Santiago de Chile: pehuén Editorial Andina S.A., 1984.

______. Poema de Chile. Santiago de Chile: Editorial Pomaire, 1967. Disponível em: http://www.memoriachilena.gob.cl/archivos2/pdfs/MC0003261.pdf acesso em 11 de fevereiro de 2019.

QUEZADA, Jaime. Gabriela Mistral Escritos Políticos. Santiago de Chile: Fondo de Cultura Económica, 1994.

REIS, Maria Firmina dos. Úrsula. Organização, atualização e notas por Luiza Lobo; Introdução de Charles Martin. Rio de Janeiro: Presença; Brasília: INL, 1988.

______. Úrsula; A Escrava. Florianópolis: Ed. Mulheres; Belo Horizonte: PUC Minas, 2004.

______. Cantos à beira-mar e Gupeva. São Luís: Academia Ludovicense de Letras, 2017.

RIBEIRO, Djamila. O que é lugar de fala? Belo Horizonte: Letramento Justificando, 2017.

SILVA, Régia Agostinho da. A mente, essa ninguém pode escravizar: Maria Firmina dos Reis e a escrita feita por mulheres no Maranhão. Revista Leitura: teoria e prática. Volume 29, nº 56 2011.

VALDÉS, Gladys Rodríguez. Invitación a Gabriela Mistral (1889-19891). México: Fondo de Cultura Económica, 1990.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

QUALIS/CAPES - quadriênio 2013-2016B2 - ÁREA DE LINGUÍSTICA E LITERATURA

 

Indexadores de Base de Dados (IBDs) 
Bases de periódicos com texto completo: