A EXPRESSÃO DO SUJEITO PRONOMINAL NO PORTUGUÊS FALADO EM VITÓRIA/ES

Wladimir Ricardi Alves Genuino (UFES)

Resumo


A expressão do sujeito pronominal é um fenômeno que, no Português Brasileiro, ocorre de dois modos: o sujeito nulo/zero/ausente e o sujeito pleno/expresso/presente. À luz da Teoria da Variação e da Mudança Linguística (LABOV, 2008[1972]), analisamos 46 entrevistas da amostra que compõe o PortVix (Português Falado na Cidade de Vitória), que tem por parâmetros sociais o gênero/sexo do falante, sua faixa etária e seu nível de escolaridade. Esta amostra contempla entrevistas tipicamente labovianas de fala espontânea gravadas no período entre 2001 e 2003 (YACOVENCO et al.,2012). Algumas pesquisas feitas sobre a expressão do sujeito pronominal, Paredes Silva (1988) e Duarte (1995), apontaram uso relevante do sujeito pronominal expresso no Português Brasileiro. Baseamo-nos nesses estudos anteriores e temos por hipótese principal que também na variedade capixaba, se evidencia um uso expressivo do sujeito pronominal preenchido. Nosso objetivo é descrever e analisar  se a expressão variável do sujeito pronominal no português falado em Vitória revela maior frequência de  uso de sujeitos pronominais expressos e observar quais as variáveis sociais e linguísticas atuam sobre este fenômeno considerado abaixo do nível da consciência social dos falantes. Neste estudo, trataremos dos fatores linguísticos (pessoa do discurso, ênfase, ambiguidade, tipo de oração, conexão discursiva) e sociais (sexo/gênero, escolaridade), que atuam sobre o favorecimento do preenchimento do sujeito pronominal, através de uma abordagem que contempla questões de natureza discursivo-funcional. Para o tratamento estatístico dos dados, utilizamos o programa Goldvarb X (SANKOFF; TAGLIAMONTE; SMITH, 2005), que em uma análise com resultados gerais contemplando todas as variáveis sociais e linguísticas, registrou uma frequência de uso de 70,9% de sujeitos pronominais expressos em um total de 9886 dados analisados.


Referências


CHAFE, Wallace. Giveness, contrastiveness, definiteness, subjects, topics and point of view. In: LI, Charles N. (ed) Subject and topic. New York,

Academic Press, 1976, p.25-55. In.PAREDES SILVA, Vera Lúcia. Cartas cariocas: a variação do sujeito na escrita informal. 1998. Rio de Janeiro, UFRJ, Tese de Doutorado, 1988, 330p.

CHOMSKY,Noam. Lectures on Government and Binding. Dordrecht: Foris. (2ª ed.1982), 1981. In. DUARTE, Maria Eugênia L. A perda do princípio “evite pronome” no português brasileiro. Campinas, Universidade de Campinas, Tese de Doutorado, 1995, 149p.

COELHO, Izete Lehmkuhl; GÖRSKI, Edair Maria; SOUZA, Christiane Maria N. de; MAY, Guilherme Henrique (Orgs.). Para conhecer sociolinguística. São Paulo: Contexto, 2013.

DUARTE, Maria Eugênia Lamoglia. Do pronome nulo ao pronome pleno: a trajetória do sujeito no português do Brasil. In. ROBERTS, Ian & KATO, Mary A. (orgs). Português Brasileiro: uma viagem diacrônica. Campinas: Ed. da UNICAMP, 1993, p.107-128. In. DUARTE: Maria Eugênia L. A perda do princípio “evite pronome” no português brasileiro. Campinas, Universidade de Campinas, Tese de Doutorado, 1995, 149p.

_________. A perda do princípio “evite pronome” no português brasileiro. Campinas, Universidade de Campinas, Tese de Doutorado, 1995, 149p.

FREITAG, Raquel Meister Ko. Idade: uma variável sociolinguística complexa. Revista Línguas e Letras. v. 6, n. 2, p.105-121, jan./jun., 2005. Disponível em: . Acesso em 13. set.2016.

GUY, Gregory Riordan; ZILLES, Ana. Sociolinguística Quantitativa: instrumental de análise. São Paulo: Parábola, 2007.

HUANG, C. T. James. On the distribuction and reference of the empty categories. Linguistic Inquiry, 1984. 15.p. 531-574. In. DUARTE, Maria Eugênia L. A perda do princípio “evite pronome” no português brasileiro. Campinas, Universidade de Campinas, Tese de Doutorado, 1995, 149p.

LABOV, William. Padrões sociolinguísticos. São Paulo: Parábola, 2008 [1972].

________. Principles of Linguistic Chage: Social Factor. (2001).Oxford: Blackwell. . In: MEYERHOFF, Myriam. Introducing Sociolinguistcs. London, Routledge, 2006.

MEYERHOFF, Miriam. Introducing sociolinguistics. London and New York: Taylor & Francis Group, 2006.

NUNES, Vanilda Ferreira Lopes. Preenchimento do sujeito pronominal na fala da comunidade de João Pessoa. João Pessoa, Universidade Federal da Paraíba, Dissertação de Mestrado, 2000, 80p.

PAREDES SILVA, Vera Lúcia. Cartas cariocas: a variação do sujeito na escrita informal. 1998. Rio de Janeiro, UFRJ, Tese de Doutorado, 1988, 330p.

_____________. Motivações funcionais no uso do sujeito pronominal: uma análise em tempo real. p.97-114. In: PAIVA, Maria Conceição de ; DUARTE, Maria Eugênia Lamoglia (orgs.). Mudança linguística em tempo real. Rio de Janeiro: FAPERJ/ Contracapa, 2003.

SANKOFF, David; TAGLIAMONTE, Sali; SMITH, Elen. Goldvarb X - A multivariate analysis application. Toronto: Department of Linguistics; Ottawa: Department of Mathematics, 2005.

SCHERRE, Maria Marta Pereira. Pressupostos teóricos e suporte quantitativo. In: SILVA, Giselle Machline de Oliveira; SCHERRE, Maria Marta Pereira (Org.). Padrões sociolinguísticos: análise de fenômenos variáveis do português falado na cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1996.

WEINREICH, Uriel; LABOV William; HERZOG, Marvin I. Fundamentos empíricos para uma teoria da mudança linguística. São Paulo: Parábola Editorial, [1968] 2006.

YACOVENCO, Lilian Coutinho et al. Projeto PortVix: a fala de Vitória/ES em cena.Revista Alfa, 2012, N. 56 (3): 771-806.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

QUALIS/CAPES - quadriênio 2013-2016B2 - ÁREA DE LINGUÍSTICA E LITERATURA

 

Indexadores de Base de Dados (IBDs) 
Bases de periódicos com texto completo: