A LEITURA COMO PRÁTICA SOCIOINTERATIVA NOS LIVROS DIDÁTICOS

Francisca Nailene Soares Vieira (URCA), José Marcos Ernesto Santana de França (URCA)

Resumo


Objetivamos com a presente pesquisa identificar a concepção teórica de leitura nos Livros Didáticos de Língua Portuguesa, tendo em vista que as recomendações dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN, 1997) tratam de uma concepção sociointeracionista. Utilizamos como arcabouço teórico referências como Solé (1998) Kleiman (2008a, 2008b, 2016), Leffa (2012) e documentos como os PCN (1997) e Base Nacional Comum Curricular (BNCC, 2018). Para alcançarmos tal finalidade nos utilizamos de uma pesquisa bibliográfica-documental, pautada numa abordagem psicolinguística, uma vez que ela nos orienta para uma análise contemplativa da ação leitora por meio de estratégias de compreensão. O livro didático (LD) da coleção Universos: língua portuguesa utilizou efetivamente a reflexão da língua nos momentos de leitura; o trabalho extrapolou a interpretação, ofertando momentos de compreensão. Logo, o LD oferece ao discente/leitor subsídios para a leitura numa perspectiva dialógica, interativa e reflexiva, visto que as atividades e a própria estrutura do livro considera o papel do leitor na construção do sentido e da aprendizagem. Portanto, a leitura como prática sociointerativa é oportunizada neste Livro Didático de Língua Portuguesa, mas cabe ao professor fazer uma boa utilização desse recurso para garantir de fato o ensino ativo e reflexivo da leitura.


Referências


ANTUNES, I. Aula de português: encontro & interação. São Paulo: Parábola Editorial, 2003.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Educação é a Base. Brasília, MEC/CONSED/UNDIME, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/wp-content/uploads/2018/02/bncc-20dez-site.pdf. Acesso em: 20 fev. de 2019.

______. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: primeiro e segundo ciclos do ensino fundamental: língua portuguesa. Brasília: MEC, 1997. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro02.pdf. Acesso em: 15 fev. de 2019.

CAVALCANTE FILHO, U. Estratégias de leitura, análise e interpretação de textos na universidade: da decodificação à leitura crítica. Cadernos do CNLF, vol. xv, nº 5, t. 2. Rio de Janeiro: CiFEFiL, 2011. p. 1721-1727. Disponível em: http://www.filologia.org.br/xv_cnlf/tomo_2/144.pdf. Acesso em: 17 jan. de 2019.

COSTA VAL, M. G. O que é ser alfabetizado e letrado?. In: CARVALHO, Maria Angélica Freire de; MENDONÇA, Rosa Helena (org.). Práticas de leitura e escrita. Brasília: Ministério da Educação (MEC), 2006. p. 18-23.

KLEIMAN, A. Oficina de leitura: teoria e prática. 12. ed. Campinas: Pontes, 2008a.

______. Texto e leitor: aspectos cognitivos da leitura. 11. ed. Campinas: Pontes, 2008b.

KOCH, I. V.; ELIAS, V. M. Ler e compreender: os sentidos do texto. 3. ed. São Paulo: Contexto, 2012.

KRUG, F. S. A importância da leitura na formação do leitor. Revista de Educação do IDEAU, v. 10, p. 1-14, 2015. Disponível em: https://www.ideau.com.br/getulio/restrito/upload/revistasartigos/277_1.pdf. Acesso em: 16 fev. de 2019.

LEFFA, J. Interpretar não é compreender: um estudo preliminar sobre a interpretação do texto. In: LEFFA, V. J.; ERNST, A. (orgs.). Linguagens: metodologia de ensino e pesquisa. Pelotas: Educat, 2012, p. 253-269.

MARCUSCHI. L. Produção textual, análise de gênero e compreensão. 3. ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

PEREIRA, C. S.; BARROS, F. P.; MARIZ, L. Universos: língua portuguesa. (org). Edições SM. 3. ed. ¬São Paulo: Edições SM, 2015.

ROSA, C. P.; RIBAS, L. C.; BARAZZUTTI, M. Análise de livros didáticos. In: Encontro Nacional Pibid-Matemática. Anais... Santa Maria: UFSM, 2012. Disponível em: http://docplayer.com.br/44076479-Uma-analise-de-probabilidade-e-combinatoria-em-um-livro-didatico.html. Acesso em: 19 fev. de 2019.

SILVA, E. T. A produção da leitura na escola: pesquisas e propostas. 2. ed. São Paulo: Ática, 2008.

______. O ato de ler: fundamentos psicológicos para uma nova pedagogia da leitura. 9. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

SOLÉ, I. Estratégias de leitura. trad. Cláudia Schilling. 6. ed. Porto Alegre: Artmed, 1998.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

QUALIS/CAPES - quadriênio 2013-2016B2 - ÁREA DE LINGUÍSTICA E LITERATURA

 

Indexadores de Base de Dados (IBDs) 
Bases de periódicos com texto completo: