A COMPREENSÃO DA HISTÓRIA POR MEIO DA FICÇÃO: O REGIME MILITAR BRASILEIRO EM A NOITE DA ESPERA, DE MILTON HATOUM

Ernani Mügge (FEEVALE), Iago Ramon Möller (FEEVALE), Julia Pruss Duarte (FEEVALE)

Resumo


O presente estudo trata das representações historiográfica e ficcional, problematizando a fronteira entre elas, e levanta a hipótese de que é possível compreender a história do regime militar brasileiro por meio da obra literária A noite da espera, de Milton Hatoum. Sendo assim, objetiva-se compreender como o autor se apropria de dados factuais para elaborar o texto, o que demanda a coleta e a análise das remissões ao mundo empírico. Para isso, realizou-se uma revisão bibliográfica sobre as fronteiras entre historiografia e ficção e, a partir disso, uma exploração dos encontros e desencontros entre discursos presentes em A noite da espera e registros historiográficos do regime militar brasileiro. Ao fim dos procedimentos, percebeu-se a possibilidade de analisar a verossimilhança externa da obra e concluiu-se que diversas “verdades” da narrativa vão ao encontro daquelas levantadas pelos historiadores. Torna-se claro, após a referida verificação, a obra literária em questão alcança uma de suas mais importantes potencialidades: a humanização da história.

Palavras-chave: História. Ficção. Regime militar brasileiro. Milton Hatoum.


Referências


AQUINO, Rubim Santos Leão de. Sociedade brasileira: uma história através dos movimentos sociais: da crise do escravismo ao apogeu do neoliberalismo. Rio de Janeiro: Record, 2000. 668 p.

ARISTÓTELES. Poética. In: ARISTÓTELES. Poética. Edição bilíngue: tradução, introdução e notas de Paulo Pinheiro. 1ª ed. São Paulo: Editora 34, 2015. p. 35-217.

CANDIDO, Antonio. Literatura e Sociedade: Estudos de Teoria e História Literária. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2010. 204 p.

CHARTIER, Roger. Uma crise da história? A história entre narração e conhecimento. In: PESAVENTO, Sandra Jatahy (Org.). Fronteiras do milênio. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS, 2001. p. 115-140.

CRUZ, F. A História e as memórias do exílio brasileiro. Fronteiras: Revista Catarinense de História, n. 20, p. 115-137, 6 jun. 2018. Disponível em: . Acesso em: 25 de abril de 2019.

FERNANDES, Fabricio. As estratégias discursivas de perpetradores: reflexões sobre a ditadura militar brasileira. ContraCorrente, [S.l.], n. 2, p. 23-42, maio 2017. Disponível em: . Acesso em: 02 maio 2019.

FERREIRA, Antonio Celso. A fonte fecunda. In: PINSKY, Carla Bassanezi; LUCA, Tania Regina de (Org.). O Historiador e suas fontes. São Paulo: Contexto, 2009. p. 61-91.

HATOUM, Milton. A noite da espera. São Paulo: Companhia das Letras, 2017. 237 p.

KARNAL, Leandro; TATSCH, Flavia Galli. A memória evanescente. In: PINSKY, Carla Bassanezi; LUCA, Tania Regina de (Org.). O Historiador e suas fontes. São Paulo: Contexto, 2009. p. 9-27

LIMA, Luiz Costa. História. Ficção. Literatura. São Paulo: Companhia das Letras, 2006. 434 p.

MEMÓRIAS da Ditadura: Repressão. [S.l.: s.n.], [2014]. Disponível em: . Acesso em: 18 de abril de 2019.

PINHEIRO, Paulo. Introdução. In: ARISTÓTELES. Poética. Edição bilíngue: tradução, introdução e notas de Paulo Pinheiro. 1ª ed. São Paulo: Editora 34, 2015. p. 7-33.

SAMUEL, Rogel. Novo manual de teoria literária. Petrópolis: Vozes, 2011. 232 p.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. STARLING, Heloisa Murgel. Brasil: uma biografia. São Paulo: Companhia das Letras, 2015. 694 p.

WHITE, Hayden. Trópicos do Discurso: Ensaios sobre a Critica da Cultura. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1994. 310 p.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

QUALIS/CAPES - quadriênio 2013-2016B2 - ÁREA DE LINGUÍSTICA E LITERATURA

 

Indexadores de Base de Dados (IBDs) 
Bases de periódicos com texto completo: