A metrópole como palco para a modernidade: reflexões sobre A alma encantadora das ruas, de João do Rio

Luis Gustavo de Paiva Faria, Arthur de Ávila Soares

Resumo


O artigo propõe um estudo exploratório da obra ​A alma encantadora das ruas (1908), de João do Rio, autor inserido em um momento histórico conhecido como Belle Époque brasileira. Essa análise se dá à luz de autores clássicos que se dedicaram a pesquisar processos urbanos, como Simmel (1973), Wirth (1973) e Benjamin (1991). Ao mesmo tempo, será possível aproximar a obra de João do Rio - a partir de diversos elementos, principalmente a percepção de certos tipos urbanos - a uma etnografia das ruas da cidade do Rio de Janeiro, caracterizando-o como um privilegiado observador do espaço urbano em um importante momento histórico do país.


Referências


ANTUNES, Henrique. O modo de vida urbano: pensando as metrópoles a partir das obras de Georg Simmel e Louis Wirth. Ponto Urbe. Revista do núcleo de antropologia urbana da USP, n. 15, 2014.

BAUDELAIRE, Charles. Sobre a modernidade: o pintor da vida moderna. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

BENJAMIN, Walter. A Paris do Segundo Império em Baudelaire: II. O flâneur. In: KOTHE, Flávio (org); FERNANDES, Florestan (coord.). Walter Benjamin: Sociologia. São Paulo: Ed. Ática, 1991. pp. 65-92.

CANDIDO, Antonio. Radicais de ocasião. Discurso, nº 9, 1978. pp. 193-201. Disponível em: Acesso em 14 de junho, 2015.

D'ANGELO, Martha. A modernidade pelo olhar de Walter Benjamin. Estud. av., São Paulo , v. 20, n. 56, pp. 237-250, 2006.

HARVEY, David. Modernidade e modernismo. In: Condição Pós-Moderna. 17 ed. São Paulo: Edições Loyola. 2008. pp. 22-44.

LEFEBVRE, Henri. O direito à cidade. São Paulo: Centauro. 2008.

MOTT, Luiz. Cotidiano e vivência religiosa: entre a capela e o calundu. In: NOVAIS, Fernando A. (coord.) e SOUZA, Laura de Mello e (org.) A História da Vida Privada no Brasil: cotidiano e vida privada na América Portuguesa. São Paulo, Companhia das letras, 1997. pp. 155-220.

O’DONNELL, Julia. De olho na rua: a cidade de João do Rio. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008.

RIO, João do. A alma encantadora das ruas. Rio de Janeiro: Secretaria Municipal de Cultura, 1995.

RIO, João do.Vida Vertiginosa. Rio de Janeiro: Garnier, 1911.

SEVCENKO, Nicolau. Literatura como Missão: tensões sociais e criação cultural na Primeira República. São Paulo: Brasiliense, 1983.

SIMMEL, Georg. A metrópole e a vida mental [1903]. In: VELHO, Otávio (Org.). O fenômeno urbano. Rio de Janeiro: Zahar, 1973.

VENEU, Marcos Guedes. O flâneur e a vertigem. Metrópole e subjetividade na obra de João do Rio. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, vol. 3, n. 6, 1990. pp. 229-243.

WIRTH. Louis. O urbanismo como modo de vida [1938]. In: VELHO, Otávio (Org.). O fenômeno urbano. Rio de Janeiro: Zahar, 1973.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

QUALIS/CAPES - quadriênio 2013-2016B2 - ÁREA DE LINGUÍSTICA E LITERATURA

 

Indexadores de Base de Dados (IBDs) 
Bases de periódicos com texto completo: