O ENSINO DE CONCORDÂNCIA VERBAL NO ENSINO MÉDIO: UMA ANÁLISE EM LIVROS DIDÁTICOS E EM UMA PLATAFORMA ONLINE DE LÍNGUA PORTUGUESA

Caroline Huntermann, Karina Zendron Da Cunha

Resumo


O presente artigo tem como objetivo analisar o tratamento dado ao conteúdo gramatical concordância verbal por uma coleção de livros didáticos e por uma plataforma online de Língua Portuguesa (LP). A coleção de livros didáticos escolhida foi “Veredas da palavra”, das autoras Roberta Hernandes e Vima Lia Martin, de 2017. A plataforma que também será analisada é intitulada “Norma Culta”, criada pela empresa 7Graus, com o objetivo de fornecer informações acerca da gramática da língua portuguesa. O estudo configurou-se de caráter interpretativista, de análise comparativa, focalizando o modo como a concordância verbal é tratada nesses materiais e se a sua abordagem segue totalmente os preceitos da gramática normativa, ou se está presente uma visão mais científica de língua, levando em consideração resultados de pesquisas linguísticas atuais. Nosso intuito é responder se o tratamento dado ao tema concordância verbal pelos materiais didáticos em análise é significativo para o ensino e a aprendizagem nas aulas de LP. Nossa hipótese, levando em consideração estudos anteriores, é a de que os materiais didáticos analisados neste estudo seguirão uma perspectiva mais tradicional de ensino de gramática. Os resultados confirmaram nossas hipóteses, indicando a necessidade de um ensino de LP que valorize mais a competência linguística do estudante.

Palavras-chave: Análise linguística. Concordância verbal. Materiais didáticos.

 

DOI: https://doi.org/10.47295/mgren.v10i1.2868


Referências


AVELAR, Juanito Ornelas. Saberes gramaticais: formas, normas e sentidos no espaço escolar. São Paulo: Parábola, 2017.

BAGNO, Marcos. Nada na língua é por acaso: por uma pedagogia da variação linguística. São Paulo: Parábola, 2007.

BAGNO, Marcos. Gramática pedagógica do português brasileiro. São Paulo: Parábola, 2012.

BAGNO, Marcos. Pesquisa na escola: o que é, como se faz. 26. ed. São Paulo: Loyola, 2014.

BASSO, Renato Miguel; PIRES DE OLIVEIRA, Roberta. Feynman, a linguística e a curiosidade, revisitado. Matraga, Rio de Janeiro, v. 19, n. 30, p. 13-40, 2012.

BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. 37. ed. revista, ampliada e atualizada conforme o novo Acordo Ortográfico. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

BORTONI-RICARDO, Stella Maris. O professor pesquisador: introdução à pesquisa qualitativa. São Paulo: Parábola, 2008.

BORTONI-RICARDO, Stela Maris et al. (Org.). Por que a escola não ensina gramática assim? São Paulo: Parábola, 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: língua portuguesa. Brasília: MEC, 1998.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília: MEC, 2001.

BRASIL. MEC. Edital de Convocação 4/2015-CGPLI. Processo de Inscrição e Avaliação de Obras Didáticas para o Programa Nacional do Livro Didático – PNLD 2018. Brasília: MEC, 2015.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base nacional comum curricular. Brasília, DF, 2019.

CARDOSO, Caroline Rodrigues; COBUCCI, Paula. Concordância de número no português brasileiro. In: BORTONI-RICARDO, Stella Maris et al. (Org.). Por que a escola não ensina gramática assim? São Paulo: Parábola, 2014. p. 71-107.

CASTILHO, Ataliba T. de. Nova gramática do português brasileiro. São Paulo: Contexto, 2019.

CUNHA, Celso; CINTRA, Luís F. Lindley. Nova gramática do português contemporâneo. 5. ed. Rio de Janeiro, 2008.

DUARTE, M. E. L. Do pronome nulo ao pronome pleno: a trajetória do sujeito no Português do Brasil. In: ROBERTS, I.; KATO, M. A. (Org.). Português brasileiro – uma viagem diacrônica. Campinas: UNICAMP, 1993. p. 107-128.

FARACO, Carlos Alberto. Norma culta brasileira: desatando alguns nós. São Paulo: Parábola, 2008.

FARACO, C. A. Bases para uma pedagogia da variação linguística. Conferência apresentada por Carlos Amberto Faraco [s.l., s.n], 2020. 1 vídeo (1h 9min 15s). Publicado pelo canal da Associação Brasileira de Linguística. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=3kS-RHie0Zw.2020. Acesso em: 13 ago. 2020.

FIGUEIREDO SILVA, M. C.; MEDEIROS, A. B. Para conhecer morfologia. São Paulo: Contexto, 2016.

HERNANDEZ, Roberta; MARTIN, Vilma Lia. Veredas da palavra. Manual do professor. São Paulo: Ática, 2016.

HOCHSPRUNG, V.; HUNTERMANN, C.; ZENDRON DA CUNHA, K. Como falar sobre as bases da pedagogia da variação linguística num contexto sem norma de referência? Revista da ABRALIN, [s.l.], v. 19, n. 2, p. 1-5, 27 jun. 2020.

HOCHSPRUNG, Vitor; ZENDRON DA CUNHA, Karina. Que gramática se ensina na escola? Uma análise das classes de palavras em livros didáticos. Miguilim – Revista Eletrônica do Netlli, Crato, v. 8, n. 2, p. 589-603, maio-ago. 2019.

LUFT, Celso Pedro. Língua e liberdade: por uma nova concepção de língua materna e seu ensino. Porto Alegre: L&PM, 1985.

MONGUILHOTT, I. O. S. Estudo sincrônico e diacrônico da concordância verbal de terceira pessoa do plural no PB e no PE. 2009. 228 f. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Linguística, Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2009.

NEVES, Flávia. Concordância verbal. Norma culta: língua portuguesa em bom português. [S.l.] [2007?]. Disponível em: https://www.normaculta.com.br/concordancia-verbal/. Acesso em: 15 mar. 2021.

NEVES, Flávia. Norma culta. Norma culta: língua portuguesa em bom português. [S.l.] [2007?]. Disponível em: https://www.normaculta.com.br/norma-culta/. Acesso em: 15 mar. 2021.

OTHERO, G. A. Mitos de linguagem. São Paulo: Parábola, 2017.

PERINI, M. A. Gramática descritiva do português brasileiro. Petrópolis: Vozes, 2016.

PIRES DE OLIVEIRA, Roberta; BASSO, Renato Miguel; QUAREZEMIN, Sandra. Construindo gramáticas na escola. Florianópolis: UFSC/CCE/DLLV, 2013.

PIRES DE OLIVEIRA, Roberta; QUAREZEMIN, Sandra. Gramáticas na escola. Petrópolis: Vozes, 2016.

PIRES DE OLIVEIRA, Roberta; QUAREZEMIN, Sandra Artefatos em gramática: ideias para aulas de língua. In: PIRES DE OLIVEIRA, R.; QUAREZEMIN, S. (Org.) Artefatos em gramática: ideias para aulas de língua. Florianópolis: DLLV/CCE/UFSC, 2020. p. 7-13.

QUAREZEMIN, Sandra. Notas sobre adjunção – em defesa da iniciação científica nas escolas. In: GUESSER, Simone (Org.). Linguística: pesquisa e ensino – v. 2. Boa Vista: EDUFRR, 2016. p. 197-214.

SCHERRE, M. M. P.; NARO, A. J. Mudança sem mudança: a concordância de número no português brasileiro. Scripta, Belo Horizonte, v. 10, n. 18, p. 107-129, 2006. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/12597. Acesso em: 30 jul. 2020.

SCHERRE, M. M. P.; NARO, A. J.; CARDOSO, C. R. O papel do tipo de verbo na concordância verbal no PB. D.E.L.T.A., v. 23, n. 3, esp., p. 283-317, 2007.

VITORINO, M. A; SILVA. C. R. T. Livros didáticos de português: como enfocam concordância e sujeito posposto? SOLETRAS, n. 26, p. 312-329, 2013.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

QUALIS/CAPES - quadriênio 2013-2016B2 - ÁREA DE LINGUÍSTICA E LITERATURA

 

Indexadores de Base de Dados (IBDs) 
Bases de periódicos com texto completo: