ASSISTÊNCIA À SAÚDE DA CRIANÇA NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE: LIMITES PARA HUMANIZAÇÃO

Thaynara Venancio Bezerra, Marcelo Alves da Silva, Paulo Leonardo Ponte Marques, Lídia Samantha Alves de Brito

Resumo


Objetivo: identificar fatores que podem interferir na assistência saúde à criança na atenção primária à saúde pela ótica dos princípios e diretrizes da política nacional de humanização. Método: revisão integrativa da literatura, em que a busca foi realizada de outubro de 2016 a janeiro de 2017 na Biblioteca Virtual de Saúde (BVS), nas seguintes bases de dados: Literatura Latino Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS) e Medical Literature Analysis and Retrieval System Online (MEDLINE) e Base de Dados de Enfermagem (BDENF).  Os descritores utilizados para a busca foram “saúde da criança” e “atenção primária à saúde”, a busca resultou em 6.647 estudos, que estabelecidos os critérios de inclusão, 13 foram selecionados. Resultados e Discussão: de acordo com a análise dos estudos formularam cinco categorias que expressam os fatores que têm interferido na assistência à saúde da criança na Atenção Primária: despreparo profissional, carência de recursos materiais e dificuldades no acesso, fragilidades na comunicação entre os níveis de atenção à saúde e ausência de acolhimento. Considerações finais: evidencia-se que os fatores que podem dificultar a assistência à saúde da criança englobam desde falhas no âmbito da gestão, estrutura e competência profissional, fato que leva ao predomínio do modelo biomédico. No tocante para que haja uma assistência de qualidade de acordo com os princípios e diretrizes na PNH, é importante que os profissionais considerem a criança em meio a um contexto familiar, social e econômico.


Palavras-chave


Humanização da assistência; Atenção primária à saúde; Saúde da criança

Texto completo: PDF

Comentários sobre o artigo