ESTÉTICA E INTERCULTURA: GRAFITE E TOLERÂNCIA NA UNIVERSIDADE

Domingos Sávio de Almeida Cordeiro, João Batista João Batista de Albuquerque Figueiredo

Resumo


O objetivo deste trabalho é narrar uma intervenção estética e intercultural no Campus Pimenta da Universidade Regional do Cariri – URCA, ocorrida entre outubro de 2017 e janeiro de 2018. Introdução: De maneira geral, a universidade pública espelha o que acontece na sociedade em que ela está inserida, tanto do ponto de vista político, quanto social. Localizada no Ceará a URCA tem num dos campi as paredes continuamente pichadas por alunos. As pichações trazem palavras de ordem contra o poder estabelecido, provocações e insultos. As pichações têm gerado uma disputa pelo espaço visual numa guerra de cores, símbolos, textos e rabiscos. Até meados de 2017 a administração dos campi pintava inúmeras vezes as fachadas e, em curto tempo, surgiam novas pichações. Metodologia: Foi organizada uma campanha com mote “Grafite Tolerância”, propondo uma alternativa de debate via realização de artes visuais nas paredes do campus. Resultados: Como resultado alunos, professores e pessoas da comunidade realizaram 64 murais medindo entre um e 30 metros quadrados nas paredes do Campus Pimenta. Considerações: observa-se a presença de visitantes para apreciar as obras; o surgimento de diálogos sobre as obras entre professores e alunos da graduação e da pós-graduação, diminuição do número e frequência de pichações e inúmeros depoimentos informando que o ambiente está mais harmônico e pacificado a partir da realização das obras interculturais.


Palavras-chave


Tolerância; Interculturalidade; Descolonialidade; Grafite

Texto completo: PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .