PSICOLOGIA DO TRÂNSITO: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA

Gislene Farias de Oliveira, Hermes Melo Teixeira Batista, David de Oliveira Rufato, Thércia Lucena Grangeiro Maranhão, Irineide Beserra Braga, José Demontier Guedes

Resumo


A questão do trânsito hoje é encarada como um problema social. A pressa e a aceleração a que estamos submetidos devido às novas tecnologias, tem impactado o nosso dia-a-dia e nossas atitudes frente ao trânsito. Essas tem sido pouco estudadas, embora a sociedade já demande por conhecimentos mais sistematizados nesta área. Há ainda muita ambivalência quanto ao que é certo ou errado em termos de  direitos e deveres de cada um e, quanto às regulamentações pertinentes. O presente estudo se propôs a uma revisão sistemática da literatura sobre Psicologia do Trânsito de 2004 a 2013. Envolveu 23 artigos, selecionados de maneira aleatória nas bases de dados Scielo, BVS e PubMed, utilizando-se as palavras-chave: psicologia do trânsito, violência no trânsito, condutores, direção perigosa, motoristas, motociclistas, volante. De uma maneira geral, os resultados foram dispostos em 4 categorias de assuntos tratados nos artigos selecionados: 1) Avaliação psicológica (8 artigos – 34,8%); 2)Violência no trânsito (2 artigos – 8,7%); 3) Políticas públicas (4 artigos – 17,4%); 4) Comportamento do condutor (9 artigos – 39,1%). Os estudos demonstraram que a produção científica na área da Psicologia do Trânsito no Brasil, ainda é bastante incipiente. Os resultados demonstraram a necessidade de fortalecimento de políticas públicas de trânsito. Também que é necessária a promoção de uma maior visibilidade dos trabalhos desenvolvidos pelo Psicólogo do Trânsito, através do compartilhamento de suas experiências em periódicos científicos. Dessa forma, colaborando para a atualização da temática e embasando a execução de políticas públicas para o setor.  Também que há necessidade de fortalecimento de políticas públicas de trânsito. Para isso é imprescindível que os psicólogos se façam mais presentes na criação e fortalecimento de associações científicas e profissionais de Psicologia do trânsito, como importantes espaços de interlocução com a sociedade e o Governo Federal. Recomenda-se maior investimento em estudos sobre a validade preditiva dos testes psicológicos utilizados na habilitação de motoristas, de maneira  que se possa estabelecer relações entre desempenhos nos testes e comportamento no trânsito.

(http://dx.doi.org/10.14295/cad.cult.cienc.v13i2.850)


Palavras-chave


Psicologia do trânsito, Violência no trânsito, Direção perigosa

Texto completo: PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .