ABANDONO DO TRATAMENTO DA TUBERCULOSE: UMA ANÁLISE EPIDEMIOLÓGICA DOS SEUS FATORES DE RISCO

Nara Luézia de Souza Monteiro, Raimundo Tavares de Luna Neto, Natália Bastos Ferreira Tavares, Rayan Ibiapina Campos, Alan Felipe Oliveira Alencar, Marcos Aurélio Souza Lima, Olga Feitosa Braga Teixeira, Minéia da Costa Figueiredo, Carla Virgínia de Souza Gonçalves

Resumo


O abandono do tratamento, no atual panorama da luta contra a Tuberculose, se constitui em um dos principais desafios para o sistema de saúde brasileiro e é caracterizado pelo não comparecimento do doente ao serviço de saúde por mais de trinta dias consecutivos, após a data aprazada para o retorno. Objetivou-se caracterizar o perfil epidemiológico e os fatores de risco associados ao abandono do tratamento por pacientes portadores de tuberculose do município do Iguatu – Ceará. Estudo de caráter descritivo, exploratório, com abordagem quantitativa realizado no município de Iguatu-CE, desenvolvida com 06 pacientes de tuberculose que abandonaram o tratamento e/ou que interromperam-no antes da alta por cura, registrados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação no período compreendido pelos anos de 2009 e 2013. A análise estatística se deu através do Software Excel for Windows na sua versão 2010 e analisadas à luz da literatura pertinente. De acordo com os resultados foi constatado que 66,64% eram do sexo masculino, em sua maioria de cor negra 83,30%, com faixa etária entre 20 a 50 anos. Quanto ao nível de escolaridade, percebeu-se que do total de pacientes estudados, 49,98% tinham entre quatro e sete anos de estudos, principal agravo encontrado no estudo foi o etilismo, 66,64% dos seis participantes apresentaram o etilismo como agravo associado ao seu tratamento, 49,98% não tinham a ocupação informada, ao tipo de entrada do paciente ao tratamento da tuberculose, quatro 66,64% foram por caso novo, sendo dois 33,32% por reingresso após abandono, todos os participantes do estudo são provindos da zona urbana e todos foram indicados ao Tratamento Diretamente Observado. Verificou-se então que, o abandono de tratamento está relacionado a vários fatores condicionantes, sobretudo os socioeconômicos, e ocorre principalmente na população com menor escolaridade, da raça negra e relaciona-se também ao consumo de álcool.

(http://dx.doi.org/10.14295/cad.cult.cienc.v13i2.855)

 


Palavras-chave


Tuberculose; Tratamento; Abandono; Fatores de Risco.

Texto completo: PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .