ACOMPANHANTE TERAPÊUTICO E GESTALT-TERAPIA: UMA JUNÇÃO POSSIVEL

Ana Fabrícia Vidal Parente, Tássia Lobato Pinheiro Belmino

Resumo


O presente artigo tem por objetivo apresentar a Gestalt-terapia como uma teoria que contribua com o trabalho do acompanhante terapêutico. Dessa forma, o objetivo deste trabalho é repensar a contribuição da Gestalt-terapia para a prática do acompanhante terapêutico, utilizando-se de pesquisa bibliográfica e o método indutivo. Explanou-se sobre a história da loucura, o trabalho do acompanhante terapêutico e sobre a Gestalt-terapia, a fim de avaliar se de fato existem pontos comuns para que a teoria sirva de base ao trabalho do mesmo. Como resultados temos a Gestalt-terapia como um embasamento teórico válido para o acompanhante terapêutico por apresentar diversos pontos em comum, dentre eles, o fato de ambas as práticastrabalharem o sujeito integralmente, levando em conta o local em que este se encontra inserido, bem como o fato de demandarem do social novas posturas que abranjam as diferenças.

 

DOI:  http://dx.doi.org/10.14295/cad.cult.cienc.v14i2.900

 

 


Palavras-chave


Loucura,Acompanhante Terapêutico e Gestalt-Terapia.

Texto completo: PDF


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .