A SECA E OS ARGUMENTOS SOBRE CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO A PARTIR DO OLHAR DE RACHEL DE QUEIROZ

Paulo Cesar Ferreira Soares (UERN), Gilton Sampaio de Souza

Resumo


A escolha do tema que aborda questões relativas à vivência de retirantes nos campos de concentração, construídos por ocasião das secas no estado do Ceará, mais precisamente no ano de 1932, representa, em primeiro plano, a minha intenção, enquanto pesquisador, de tornar mais visível e compreender melhor o problema da miséria sofrida pelos ‘flagelados’, como eram conhecidos. Pelo fato de compor o grupo de estudos da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, UERN, em Pau dos Ferros, sobre argumentação e cultura local, vejo, na retórica, uma forma de denúncia social contra a crueldade desses campos de concentração cearenses. Nesse processo, pretendo trabalhar, predominantemente, com a teoria da nova retórica, de Perelman e Olbrechts-Tyteca (2014). Contudo, irei ancorar também esse estudo em autores como Souza (2003), Reboul (2004), Halbwachs (1990), Arendt (2007), dentre outros. O método, além de se constituir como dedutivo e indutivo, parte de uma pesquisa bibliográfica até desaguar nas entrevistas, das quais analisamos os lugares da argumentação, isto é, as categorias perelmanianas que tratam de argumentos baseados em quantidade, qualidade, essência, dentre outros. Espero que este artigo possa, primeiro, servir de voz para os familiares dessas pessoas que sofreram nos campos de concentração, depois que contribua para novas pesquisas acerca da argumentação e/ou da temática aqui exposta.


Referências


REFERÊNCIAS

ARAÚJO, Kárita de F.; ANSELMO, Rita de Cássia M. de S. 1915: A seca e o sertão sob o olhar de Raquel de Queiroz. Estudios Históricos, n. 3, 2009.

ARENDT, Hannah. A condição humana. 10. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2007.

BOURDIEU, Pierre. Coisas ditas. São Paulo: Brasiliense, 2004.

COUTINHO, Afrânio. A Literatura no Brasil. 7. ed. São Paulo: Global, 2004.

DITTRICH, Ivo José. Por uma retórica do discurso: argumentação técnica, emotiva e representacional. ALFA: Revista de Linguística, v.52, n.1, 2008.

FIORIN, José Luiz. Argumentação. São Paulo: Contexto, 2015.

HALBWACHTS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Edições Vértices, 1990.

PERELMAN, Chaïm, OLBRECHTS-TYTECA, Lucie. Tratado da argumentação: a nova retórica. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2014.

PLANTIN, Christian. A argumentação. São Paulo: parábola Editorial, 2008.

QUEIROZ, Rachel. O quinze. Rio de janeiro: José Olympio Editora, 2006.

REBOUL, O. Introdução à retórica. Tradução Ivone Castilho Benedetti. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

RIOS, Kênia Sousa. Engenhos da memória: narrativas da seca no Ceará. Fortaleza: Imprensa Universitária, 2014.

SOARES, P. C. F. Argumentação sobre o milagre da hóstia de sangue em crônicas de alunos do Ensino Médio. 2016. 105 f. Dissertação (Mestrado em Ensino). Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Pau dos Ferros, 2016.

SOUSA, B. H. de. Memórias flageladas: a construção da seca na região do cariri cearense (1958-1970). 2016. 112 f. Dissertação (Mestrado em História). Universidade Federal da Paraíba. João Pessoa, 2016.

SOUZA, G. S. de. O Nordeste na mídia: um (des)encontro de sentidos. 2003. 398 f. Tese (Doutorado em Linguística e Língua Portuguesa). Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho. Araraquara, 2003.

TAMARU, Ângela Harumi. A construção literária da mulher nordestina em Rachel de Queiroz. Sínteses - Revista dos cursos de Pós-Graduação. v. 9, p. 413-420, 2004.

TRAVASSOS, L. S. M. Uma história não contada: o campo de concentração para flagelados de 1915 em Fortaleza-Ceará. In: V Colóquio de História “Perspectivas Históricas: historiografia, pesquisa e patrimônio”, 2011. Recife. Anais...Universidade Católica de Pernambuco, 2011. p. 717 – 730.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

 

 

Indexadores de Base de Dados (IBDs) 
Bases de periódicos com texto completo:



 

Outros Indexadores e Bancos de Dados:


Library of Congress

Sudoc - Système Universitaire de Documentation

Copac – United Kingdom

Bielefeld Academic Search Engine

CRUE / REBIUN - Catálogo de la Red de Bibliotecas Universitarias

 

Google Analytics UA-142181466-1

Macabéa – Revista Eletrônica do Netlli está avaliada no extrato B2, no QUALIS/CAPES - quadriênio 2013-2016, na área de LETRAS/LINGUÍSTICA.