VIRGEM MARIA PÓS-MODERNA: A “TRAVESTHRILLER” SHIRLEY DAYANNA E O MILAGRE DA TRANS MUTAÇÃO DO SUJEITO

Cláudia Rejanne Pinheiro Grangeiro (URCA), Joseph Bezerra do Nascimento (URCA)

Resumo


O folheto de cordel O milagre travesthriller: a história da travesti que (com fé) engravidou, publicado em primeira edição em 2010, já nasceu intersemiótico. Foi encomendado pelo cineasta Orlando Pereira à poetisa Salete Maria da Silva para ser transformado em filme, um curta-metragem intitulado Travesthriller, lançado em 2014, ocasião do lançamento da terceira edição do folheto. Para este trabalho, recortamos como corpus de análise a edição de 2014 do folheto com o objetivo de investigar os processos de constituição da subjetividade da personagem Shirley Dayanna. Para tanto, articulamos as teorias do discurso e do sujeito de Michel Foucault (1997, 1999, 2000) com o pensamento de autores dos Estudos Culturais e das identidades como Hall (2014), dentre outros.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

QUALIS/CAPES - quadriênio 2013-2016B2 - ÁREA DE LINGUÍSTICA E LITERATURA

 

Indexadores de Base de Dados (IBDs) 
Bases de periódicos com texto completo: