A VARIAÇÃO/MUDANÇA NUMA PERSPECTIVA SOCIOFUNCIONALISTA

Camilo Rosa Silva (UFPB), Maria José Oliveira (IFRN)

Resumo


Este trabalho discorre sobre o processo de variação/mudança sob um olhar sociofuncionalista. Configura-se, assim, como uma revisita a conceitos e pressupostos teórico-metodológicos da Sociolinguística e do Funcionalismo Norte-Americano. O objetivo é levantar convergências relacionadas ao tratamento da variação nas duas vertentes, projetando-se uma terceira abordagem: o chamado Sociofuncionalismo. A revisão teórica é alimentada por autores da Sociolinguística, a saber, Labov (2008[1972]); Campoy (2005); Weinrich; Labov; Herzog (1968); Tagliamonte (2006); e do Funcionalismo Linguístico: Givón (2001, 2005); Hopper (1987); Brinton e Traugott (2005). Para sumarizar a perspectiva sociofuncionalista, remetemo-nos aos estudos de Tavares (2013), e a exemplos de Barcia (2006). O estudo acena para alguns pontos de convergência entre os dois modelos, tais como: primazia da língua em uso; destaque para a frequência de uso; estudo de cunho sincrônico atrelado ao diacrônico; interesse por fatores interacionais; gradualidade da mudança; uniformitarismo, entre outros. Inserida em tal contexto, a mudança por gramaticalização é considerada um dos fios condutores das análises, tendo em vista que os princípios da estratificação, da persistência e da especialização são efetivamente esclarecedores em relação aos movimentos de mudança por que passam itens ou construções linguísticas, fato esse que converge às duas vertentes.

Palavras-chave: Funcionalismo. Sociolinguística. Sociofuncionalismo.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

QUALIS/CAPES - quadriênio 2013-2016B2 - ÁREA DE LINGUÍSTICA E LITERATURA

 

Indexadores de Base de Dados (IBDs) 
Bases de periódicos com texto completo: