MISS BRASIL 2017: TESES E TÉCNICAS ARGUMENTATIVAS SOBRE A MULHER NEGRA EM DISCURSOS QUE CIRCULAM NA REVISTA DONNA

Edmar Peixoto de Lima (UERN), Gláucia Maria Bastos Marques (CMF), Antônia Jany da Silva (UERN)

Resumo


O presente artigo consiste em analisar as teses e as técnicas argumentativas apresentadas na construção da reportagem intitulada Por que ver uma Miss Brasil negra eleita pela segunda vez consecutiva incomoda tanta gente?. A referida reportagem, que circula no site da revista eletrônica Donna (BUCHMANN, 2017), trata da eleição de uma negra como representante da mais bela mulher do Brasil no concurso Miss Brasil 2017. Como referencial teórico, recorremos aos postulados dos estudos da argumentação retórica, apresentados no Tratado da Argumentação: a Nova Retórica (PERELMAN; OLBRECHTS-TYTECA, 2005). As nossas análises revelam que o orador defende, entre outras, a tese de que a eleição de uma mulher negra, como representação da beleza brasileira, contribui para a valorização da mulher, na medida em que sinaliza uma “quebra” nos padrões de beleza. Com o intuito de defender seus posicionamentos, na organização da reportagem, o orador se utiliza também das técnicas argumentativas apresentadas por Perelman e Olbrechts-Tyteca (2005), denominadas de argumentos quase-lógicos, argumentos baseados na estrutura do real e argumentos que fundamentam a estrutura do real.

PALAVRAS-CHAVE: Teses. Técnicas Argumentativas. Miss Brasil. Mulher Negra.


Referências


BUCHMANN, Duda. Por que ver uma Miss Brasil negra eleita pela segunda vez consecutiva incomoda tanta gente?. Revista Donna (on-line). Disponível em: < http://revistadonna.clicrbs.com.br/beleza/miss-brasil-e-negra-pela-segunda-vez-consecutiva-duda-buchmann/ >. Acesso em: 19 nov. 2017.

COUTINHO, L. L.; ESCOSTEGUY, A. C. D. Antônia sou eu, Antônia é você: Identidade de mulher negras. In: MOSTRA DE PESQUISA DA PÓS-GRADUAÇÃO PUCRS, 3., 2008, Porto Alegre. Anais..., Porto Alegre: EDIPUCRS, 2008. p. 1-4.

LIMA, E. P. O ethos de professores universitários em discursos sobre o ensino de língua portuguesa. 2011. 190f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGL), Pau dos Ferros: UERN, 2011.

OLIVEIRA, A. X. G.; ANDRADE, R. G. A brasilidade em Macunaíma: uma construção a partir do anti-herói. Cadernos afro-paraibanos: Educação, Literatura infanto-juvenil e relações étnico-raciais, João Pessoa, v. 1, n. 1, p. 1-5, 2010.

PERELMAN, C.; OLBRECHTS-TYTECA, L. Tratado da argumentação: a nova retórica. Tradução de M. E. A. P. Galvão. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

REBOUL, O. Introdução à retórica. Tradução de I. C. Benedetti. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

SILVA, A. A. A Argumentação em textos escritos por crianças em fase inicial do ensino fundamental. 2012. 141 f. Dissertação (Mestrado Acadêmico em Letras) – Departamento de Letras, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, Pau dos Ferros, 2012.

WALTER, M. T. M. T.; BAPTISTA, S. G. A força dos estereótipos na construção da imagem profissional dos bibliotecários. Informação e sociedade: estudos, João Pessoa, v. 21, n. 3, p. 27-38, set./dez, 2007.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

QUALIS/CAPES - quadriênio 2013-2016B2 - ÁREA DE LINGUÍSTICA E LITERATURA

 

Indexadores de Base de Dados (IBDs) 
Bases de periódicos com texto completo: