MAQUIAVEL EM SHAKESPEARE: RELEITURAS DA PERSONAGEM REI CLAUDIUS, EM HAMLET

Adelson Oliveira Mendes (UNEB), Thiago Martins Prado (UNEB)

Resumo


O artigo estuda os comportamentos e as estratégias políticas da personagem rei Claudius na peça Hamlet, articulando-os aos estudos tanto de teoria literária quanto da política. Através do estudo da crítica shakespeariana considerada, por alguns críticos literários, como canônica, pode-se chegar a uma compreensão da personagem se comparar sua conduta na peça a uma das grandes referências em táticas políticas: a obra O Príncipe, de Nicolau Maquiavel. Essas articulações apontam para a compreensão da personagem rei Claudius, dentro do teatro shakespeariano, e de como o discurso na função do rei fundamenta-se pela linguagem sedutora. A comparação entre a imagem bélica e sedutora, dentre as duas imagens de rei, atestam a fundamentação aos estudos de Thomas Hobbes e Jean-Jacques Housseau, como de grande relevância à compreensão da mudança de trono na peça Hamlet. À evolução da personagem rei Claudius, serão propostas discussões que sugerem uma mediação entre o seu caráter de dissimulador e os métodos empregados por ele para conseguir gerir o poder do reino, compreendidos através da teoria shakespeariana. Paralelamente, tenta-se comparar a atuação do rei Claudius à representação do líder estudado em Maquiavel. Atribuir o posto de usurpador unicamente a personagem rei Claudius é adotar paralogismos com relação à releitura da peça, haja vista a transição entre o estado de natureza ao contrato social.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

QUALIS/CAPES - quadriênio 2013-2016B2 - ÁREA DE LINGUÍSTICA E LITERATURA

 

Indexadores de Base de Dados (IBDs) 
Bases de periódicos com texto completo: