O CONCEITO DE VERSO PARA TINIANOV E AGAMBEN

Miguel Ângelo Andriolo Mangini (UFSC)

Resumo


O objetivo deste trabalho é uma leitura comparativa das concepções sobre o verso por Iuri Tinianov (1975a, 1975b) e Giorgio Agamben (2014), identificando as semelhanças e disparidades entre elas. Para tanto, primeiramente se faz uma contextualização da discussão sobre o que é arte ou como ela deve ser, mostrando que os preceitos mudam da época latina e da renascentista, por exemplo, para o período das vanguardas, quando surge o formalismo com a noção de estranhamento, da qual os dois autores parecem se valer. Com essa contextualização, fica possível entender as concepções de verso, em parte a partir do estranhamento. A comparação proposta se concentra no problema do último verso proposto por Agamben, para quem o verso é definido pela possibilidade do enjambement, e portanto o último verso do poema transita para a prosa. Propõe-se, por oposição, que o cancelamento da possibilidade do enjambement no último verso não prejudica o estatuto poético desse verso, na teoria de Tinianov. Ainda, os autores discordam sobre o final do poema: Agamben pensa em uma manifestação da linguagem pós-poema, e Tinianov parece delimitar o sentido do poema ao último verso.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

QUALIS/CAPES - quadriênio 2013-2016B2 - ÁREA DE LINGUÍSTICA E LITERATURA

 

Indexadores de Base de Dados (IBDs) 
Bases de periódicos com texto completo: