QUE GRAMÁTICA SE ENSINA NA ESCOLA? UMA ANÁLISE DAS CLASSES DE PALAVRAS EM LIVROS DIDÁTICOS

Vitor Hochsprung (FURB), Karina Zendron da Cunha (FURB)

Resumo


Desde a década de 1950, fala-se sobre a inserção de linguística na educação básica. Contribuindo com essa discussão, analisamos criticamente os livros didáticos dos sexto e sétimo anos da coleção “Português – Linguagens”, de Cereja e Magalhães (2015), e seu uso na escola, para observar se a análise linguística é feita cientificamente. O foco é em como o livro apresenta os conceitos morfológicos das classes de palavras. A análise dos livros se deu por método comparativo, em que os livros didáticos são colocados ao lado de gramáticas normativa e descritiva, permitindo perceber qual é abordagem gramatical predominante no livro. Compreendemos que o livro ainda segue uma perspectiva tradicional e deve ser analisado com olhar crítico pelo professor, visando a pluralização do ensino. Assim, sugerimos que os livros não sejam usados como único material e que o docente elabore aulas visando a gramática cientificamente para inserir a linguística no ensino de português.


Referências


BAGNO, Marcos. Nada na língua é por acaso. São Paulo: Parábola, 2007.

BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. 37.ed. revista, ampliada e atualizada conforme o novo Acordo Ortográfico. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

BECHARA, Evanildo. Para quem se faz uma gramática? In: NEVES, Maria Helena de Moura; CASSEB-GALVÃO, Vânia Cristina. Gramáticas contemporâneas do Português. São Paulo: Parábola. Cap. 1. p. 19-30, 2014.

BORTONI-RICARDO, Stella Maria. Educação em língua materna: a sociolinguística na sala de aula. São Paulo: Parábola, 2004.

BRASIL. PNLD 2017: língua portuguesa: Ensino fundamental anos finais. Brasília, DF: Ministério da Educação, SEB, 2017.

CASTILHO, Ataliba. Nova gramática do português brasileiro. São Paulo: Contexto, 2012.

CEREJA, William Roberto; MAGALHÃES, Thereza Cochar. Português: linguagens, 6.9 ed. reform. São Paulo: Saraiva, 2015.

CEREJA, William Roberto; MAGALHÃES, Thereza Cochar. Português: linguagens, 7.9 ed. reform. São Paulo: Saraiva, 2015.

FIGUEIREDO SILVA, Maria Cristina.; MEDEIROS, Alessandro Boechat. Para conhecer morfologia. São Paulo: Contexto, 2016.

FIORIN, José Luiz. Linguística? O que é isso?. São Paulo: Contexto, 2015.

OLIVEIRA, Roberta Pires de; QUAREZEMIN, Sandra. Gramáticas na escola. Petrópolis: Vozes, 2016.

PERINI, Mario. Gramática do português brasileiro. 1. ed. São Paulo: Parábola, 2010.

PERINI, Mario. Defino minha obra gramatical como a tentativa de encontrar respostas às perguntas: por que ensinar gramática? Que gramática ensinar? In: NEVES, Maria Helena de Moura; CASSEB-GALVÃO, Vânia Cristina. Gramáticas contemporâneas do Português. São Paulo: Parábola. Cap. 3. p. 48-67, 2014.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

QUALIS/CAPES - quadriênio 2013-2016B2 - ÁREA DE LINGUÍSTICA E LITERATURA

 

Indexadores de Base de Dados (IBDs) 
Bases de periódicos com texto completo: