A AUTOFICÇÃO FEMININA NO SÉCULO XXI: UMA TRAVESSIA PELAS MEMÓRIAS DA PROTAGONISTA DO ROMANCE OUTROS CANTOS, DE MARIA VALÉRIA REZENDE

Jeniffer Thalia do Prado da Costa (UNESPAR), Wilma dos Santos Coqueiro (UNESPAR)

Resumo


Este artigo tem como objetivo apresentar uma análise do romance OutrosCantos (2016), de Maria Valéria Rezende, a partir do conceito de autoficção, termocunhado pelo escritor francês Serge Doubrovsky, em 1977, em referência ao seuromance intitulado Fils. A partir das experiências vividas no sertão de Olho D’Água,relatadas pela narradora-personagem Maria, adentramos em suas memórias e nospercursos feitos em vários cantos do mundo, lugares que deixaram marcas profundas emsua essência. Por tratar-se de experiências reais vividas pela autora, como declaradas ementrevistas, e emprestadas à personagem, a obra coincide com as características deautoficção. Assim, este trabalho fundamenta-se a partir dos estudos teóricos de Zolin(2009), Lejeune (2008), Bergson (1999), Remédios (1997), Figueiredo (2013) ePerrone-Moisés (2016), entre outros.

Referências


BAKHTIN, M. O problema do Conteúdo, do Material e da Forma na Criação Literária. In:______. Questões de literatura e de estética: a teoria do romance. Tradução de Aurora Fornoni Bernardini [et al]. 7.ed. São Paulo: Hucitec, 2014, p. 13-70.

BERGSON, Henry. Matéria e memória: ensaio sobre a relação do corpo com o espírito. Trad. Paulo Neves. 2ed. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

BOURDIEU, P. A dominação masculina. Tradução de Maria Helena. 11ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012.

DUARTE, C. L. O cânone e a autoria feminina. In: Rita Terezinha Schmidt (org). Mulheres e literatura: (trans)formando identidades. Programa de Pós-Graduação em Letras. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 1997. DUARTE, C. L. Literatura feminina e crítica literária. In: Ana Lúcia Almeida (org). A mulher na literatura. II Encontro Nacional do ANPOLL. Belo Horizonte: Imprensa da Universidade Federal de Minas Gerais, 1990.

FIGUEIREDO, Eurídice. Mulheres ao espelho: autobiografia, ficção, autoficção. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2013

LEJEUNE, Philippe. O pacto autobiográfico. Tradução de Jovita Maria Gerheim Noronha, Maria Inês Coimbra. 2º. ed. Belo Horizonte: UFMG, 2014.

PERRONE-MOISÉS, Leyla. Mutações da literatura no século XXI. 1.ed. Paulo:Companhia das Letras, 2016.

QUEIROZ, Carlos Eduardo Japiassú. A escritura da memória com fundamento identitário do eu. Revista Brasileira de Literatura Comparada, v. 10, n. 12, p. 364-387, 2008.

REMÉDIOS, Maria Luiza. Literatura confessional – autobiografia e ficcionalidade. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1997.

REZENDE, Maria Valéria. Outros cantos. Rio de Janeiro: Al- faguara, 2016.

ZOLIN, Lúcia Osana. Critica feminista. In: BONNICI, Thomas & ZOLIN, Lúcia Osana (orgs.). Teoria Literária: Abordagens históricas e tendências contemporâneas. 3. ed. Maringá: Eduem, 2009a.

ZOLIN, Lúcia Osana. Literatura de Autoria Feminina. In: BONNICI, Thomas & ZOLIN, Lúcia Osana (orgs.). Teoria Literária: Abordagens históricas e tendências contemporâneas. 3. ed. Maringá: Eduem, 2009b.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

QUALIS/CAPES - quadriênio 2013-2016B2 - ÁREA DE LINGUÍSTICA E LITERATURA

 

Indexadores de Base de Dados (IBDs) 
Bases de periódicos com texto completo: