Rasura escrita não-visível: o que os processos revelam?

Janaína Ligya Queiroz, Eduardo Calil

Resumo


Este estudo tem por objetivo analisar 6 rasuras escritas de adição não-visíveis produzidas por uma díade de alunos recém-alfabetizados (6 a 7 anos), durante processos de escritura em tempo real. Tomamos a Genética Textual (DE BIASE, 2010; FABRE, 1989; GRESILLION, 2007), a partir de uma abordagem enunciativa, como base teórica. Nossa unidade de análise é o Texto Dialogal (TD) estabelecido na interação face-a-face, respeitando sua dimensão multimodal (gestos, expressões, movimentos corporais) e a fala espontânea e co-enunciativa dos alunos. O corpus analisado é constituído por 8 registro fílmico de 8 processos de escritura de histórias inventadas produzidas por uma mesma díade de escreventes novatos. Discutimos o estatuto da rasura de adição através da análise do processo. Nossos resultados indicam que as rasuras escritas de adição serão sempre visíveis quando se contempla o processo de escritura em tempo real e que as marcar deixadas no produto, consideradas, por trabalhos anteriores, pistas para a identificação de acréscimos, nem sempre são suficientes para a localização dessa forma de rasura. Além disso, tomando por base os dados verificados, as rasuras de adição na escrita infantil ocorrem com maior frequência no nível ortográfico e sintático favorecendo reflexões metalinguísticas dessa ordem.

 


Referências


ABAURRE, Maria Bernadete Marques. Cenas de aquisição da escrita: O sujeito e o trabalho com o texto. Campinas, SP: Associação de leituras do Brasil (ALB): Ed. Mercado de Letras, 1997.

BIASI, P.-M. de (1996). Qu’est-ce qu’une rature?. In B. Rougé (Éd.), Ratures et repentirs (pp. 17-48). Pau: Publications de l’Université de Pau.

BORÉ, C. Le brouillon, introuvable objet d’étude?. Pratiques, 105-106, 23-49, 2000.

CALIL, E. Escutar o invisível: escritura e poesia na sala de aula. São Paulo, UNESP; Rio de Janeiro, FUNARTE, 2008.

CALIL, E. Autoria: a criança e a escrita de histórias inventadas. 2ª ed. Londrina: Eduel, 2009.

CALIL, E. O sentido das palavras e como eles se relacionam com o texto em curso: estudo sobre comentários semânticos feitos por uma díade de alunos de 7 anos de idade. Alfa, São Paulo, v.60, n.3, p.531-555, 2016a.

CALIL, E. Rasura oral comentada: definição, funcionamento e tipos em processos de escritura a dois. In: Silva, Carmen Luci da Costa, Del Ré, Alessandra, Cavalcante, Marianne (orgs.) A criança na/com a linguagem: saberes em contraponto. Porto Alegre: UFRGS, 2017, pp. 161 – 192, 2017.

DOQUET, C. L’écriture débutant: pratiques scriptuales à l’école élémentaire. Rennes : Presses Universitaires de Rennes, 2011.

FABRE, C. Des variantes de brouillon au cours préparatoire. Études de Linguistique Appliquée, 62, p. 59-79, 1986.

FABRE, C. La reécriture dans l’écriture: les cas des ajouts dans les écrits scolaires. In: Études de Linguistique Appliquée (E. L. A), nº 68. Paris, 1987.

FABRE, C. Brouillons scolaires et critique génétique: nouveaux regards, nouveaux égards? In: Linx, 51, 2004.

FABRE, C. Das variantes do rascunho ao curso preparatório. In: Debates em Educação. v 5, n. 10, 2013.

GRESILLON, A. Eléments de critique génétique. Lire les manuscrits modernes. París, PUF, 2007.

VAN DIJK, T.A., & KINTSCH, W. (1983). Strategies of discourse comprehension. New York: Academic Press.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

QUALIS/CAPES - quadriênio 2013-2016B2 - ÁREA DE LINGUÍSTICA E LITERATURA

 

Indexadores de Base de Dados (IBDs) 
Bases de periódicos com texto completo: