Autorretratos da dor em profusão: diálogo entre o soneto Eu..., de Florbela espanca, e a pintura A coluna partida, de Frida Kahlo

Cícero Émerson do Nascimento Cardoso

Resumo


Este trabalho se pauta na análise de obras artísticas em dois campos específicos: Literatura e Arte Plástica. Busca estabelecer um diálogo entre o soneto “EU”, de Florbela Espanca, e a pintura “A coluna partida”, de Frida Kahlo. Em ambas as obras é perceptível o quanto a concepção de dor e de sofrimento, vinculado às experiências trágicas vividas por essas duas mulheres de espírito moderno, motivaram a realização de obras de significante valor estético. Essas obras em destaque se constituem como exemplos de autorretratos em que a feminilidade, a sensibilidade, as pulsões dolorosas da alma dessas artistas captam, de modo expressivo, os dramas existenciais vividos e redirecionados para a arte por elas produzidas.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

QUALIS/CAPES - quadriênio 2013-2016B2 - ÁREA DE LINGUÍSTICA E LITERATURA

 

Indexadores de Base de Dados (IBDs) 
Bases de periódicos com texto completo: