A RECEPÇÃO TEÓRICA À POESIA ÉPICA

Christina Bielinski Ramalho, Waldemar Valença Pereira

Resumo


Reflexões sobre a recepção teórica ao gênero épico através dos tempos, com ênfase na contradição entre uma visão conservadora, de base aristotélica, que entende o épico como esgotado e a crescente produção de poemas épicos que, simultaneamente, dialogam com a tradição épica e contrariam alguns de seus aspectos mais conhecidos, tais como a inalterabilidade de ânimo e a presença de elementos estruturais como a invocação, a proposição e a divisão em cantos. O objetivo desta abordagem é comprovar a necessidade de a teoria literária estar em constante processo de atualização, visto ser, em termos da presença da literatura nas escolas e universidades, instrumento importante para um trabalho consistente com o texto literário. Além disso, pretende-se, aqui, destacar como o gênero épico impôs, através de suas manifestações, a própria revisão da teoria épica. Para tais discussões, utilizam-se, como repertório teórico, considerações de Aristóteles, Staiger, Leo Pollmann, Anazildo Vasconcelos da Silva, Saulo Neiva, Christina Ramalho, entre outros.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

QUALIS/CAPES - quadriênio 2013-2016B2 - ÁREA DE LINGUÍSTICA E LITERATURA

 

Indexadores de Base de Dados (IBDs) 
Bases de periódicos com texto completo: