Habilidades em Consciência Fonoarticulatória de crianças monolíngues e bilíngues (pomerano/português): dados de Arroio do Padre/RS

Paola Oliveira dos Santos, Giovana Ferreira Gonçalves, Maria José Blaskovski Vieira

Resumo


Circunscrito em uma perspectiva dinâmica, o presente artigo tem por objetivo principal verificar as habilidades em Consciência Fonoarticulatória (CFA) de crianças bilíngues (pomerano/português), bem como estabelecer um comparativo com as habilidades em CFA de crianças monolíngues (português). A amostra do estudo é obtida por meio da aplicação de um teste de consciência fonoarticulatória a 17 sujeitos, alunos dos 2º, 3º e 4º anos do Ensino Fundamental de uma escola pública do município de Arroio do Padre/RS. A coleta de dados se deu com base no instrumento de Avaliação da Consciência Fonoarticulatória – CONFIART (SANTOS, VIDOR-SOUZA & VIEIRA, 2014). A análise dos dados demonstrou que tanto os monolíngues quanto os bilíngues apresentaram baixos desempenhos nas tarefas propostas. No que se refere à escolaridade, as crianças do 3º ano, de ambos os grupos, revelaram o maior percentual de desempenho, quando comparado ao desempenho dos alunos dos 2º e 4º anos. O baixo nível de consciência fonoarticulatória pode estar associado ao pouco uso de subvocalizações e, no que concerne aos segmentos bilabiais, às limitações do insrtumento para a identificação dos gestos de abertura e de fechamento labial envolvidos.

PALAVRAS-CHAVE: Consciência fonoarticulatória. Aquisição da escrita. Bilinguismo.


Referências


BENINCÁ, L, R. Dificuldade no domínio de fonemas do português por crianças bilíngues de português e pomerano. Revista Contextos Linguísticos. Ano 3, Nº especial, Vitória, 2008, p. 49 -70.

BILHARVA-DA-SILVA, F. Fala, escrita e percepção dos óticos em Arroio do Padre: influências do pomerano. Dissertação (Mestrado em Letras). Programa de Pós-Graduação em Letras. Universidade Federal de Pelotas, 2015.

BILHARVA-DA-SILVA, F.; FERREIRA-GONÇALVES, G. Quando o ca[x]o vira ca[r]o: a percepção dos róticos em um município de colonização pomerana. Revista da Anpoll, n. 42, p. 28-40, Florianópolis, Jan./Jun. 2017

BLANK, M, T. Influências fonológicas na aquisição da escrita do português por crianças bilíngues (pomerano/português brasileiro). Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação. Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2013.

BLANK, M, T.; MIRANDA, A, R. Aspectos fonético-fonológicos da aquisição da escrita do português por crianças bilíngues (pomerano/português). In: X ENCONTRO DO CELSUL – Círculo de Estudos Linguísticos do Sul UNIOESTE. Cascável – PR, 2012. Anais do X Encontro do CELSUL – Círculo de Estudos Linguísticos do Sul UNIOESTE - Universidade Estadual do Oeste do Paraná Cascavel-PR | 24 a 26 de outubro de 2012.

CÂMARA JR., J. M. Estrutura da língua portuguesa. 8a Ed. Petrópolis: Vozes , 1977.

CHO. T; LADEFOGED, P. Variation and universals in VOT: evidence from 18 languages. Journal of Phonetics (27), 1999. pp. 207-229.

FERREIRA-GONÇALVES, G.; BILHARVA-DA-SILVA, F. Os segmentos róticos: mútuas influências entre fala, escrita e percepção. Contexto (UFES), v.8, p.83 - 102, 2014.

GEWEHR-BORELLA, S. A influência da fala bilíngue Hunsrückisch- Português brasileiro na escrita de crianças brasileiras em séries iniciais. Dissertação (Mestrado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Letras. Universidade Católica de Pelotas, Pelotas, 2010.

JARDINI, R. S. R.; SOUZA, P. T. Alfabetização e reabilitação dos distúrbios de leitura/escrita por metodologia fono-vísuo-articulatória. Pró-Fono Revista de Atualização Científica, Barueri (SP), v. 18, n. 1, p. 69-78, jan.-abr. 2006.

MCGUINNESS, D. O ensino da leitura: O que a ciência nos diz sobre como ensinar a ler. Porto Alegre: Artmed, 2006.

SANTOS, R. M.; VIDOR-SOUZA, D.; VIEIRA, M. J. B. CONFIART - Instrumento de Avaliação da Consciência Fonoarticulatória. 1ª ed. Ribeirão Preto, SP: Book Toy, 2014. Programa de Pós Graduação em Distúrbios da Comunicação Humana.

SANTOS, R. M; VIEIRA, M. J. B; VIDOR–SOUZA, D. Consciência Fonoarticulatória e linguagem escrita, Verba Volant, v. 2, n. 1. Pelotas: Editora e Gráfica Universitária da UFPEL, 2011.

SCHAEFFER, S. C. B. Descrição fonética e fonológica do pomerano falado no Espirito Santo. 2012. 130 f. Dissertação (Mestrado em Linguística). Programa de Pós–Graduação em Linguística. Universidade Federal do Espirito Santo, Vitória, 2012.

STEIN, C. C. Estratégias acústico-articulatórias empregadas por anglofalantes na pronúncia do tap alveolar no português brasileiro. Domínios de Lingu@gem, v.4, 2011. pp. 124-153.

VANDRESEN, P. Contato linguístico e bilinguismo em Arroio do Padre. Encontro

do Círculo de Estudos Linguísticos do Sul – CELSUL, 7, 2006, Pelotas, RS.

MATZENAUER, Carmen L. B. et al (Orgs.). Anais... Pelotas: EDUCAT, 2008. p. 1-6. Disponível em . Acesso em 14 fev. 2014.

VIDOR-SOUZA, D. A Consciência Fonoarticulatória em crianças com desenvolvimento fonológico normal e desviante. Dissertação (Mestrado em Fonoaudiologia). Programa de Pós-Graduação em Distúrbios da Comunicação Humana, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2009.

VIEIRA, M. J. B.; SANTOS, R. M. Consciência fonológica e fonoarticulatória na aquisição da leitura e da escrita. Nonada, v. 14, 2010.

YAVAS, M.; HERNANDORENA, C. L.; LAMPRECHT, R. Avaliação fonológica da criança, reeducação e terapia. Porto Alegre: Artes Médicas, 1991.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

QUALIS/CAPES - quadriênio 2013-2016B2 - ÁREA DE LINGUÍSTICA E LITERATURA

 

Indexadores de Base de Dados (IBDs) 
Bases de periódicos com texto completo: