Tematizando o fantástico nos "Metzengersteins" de Edgar Allan Poe e Roger Vadim

Auricelio Soares Fernandes, Waldir Kennedy Nunes Calixto

Resumo


Esse artigo tem como finalidade discutir as temáticas do fantástico no conto “Metzengerstein”, do autor norte-americano Edgar Allan Poe e à sua adaptação fílmica homônima de 1968, dirigida e produzida por Roger Vadim. No filme, Vadim utiliza-se de elementos temáticos originais do conto de Poe, mas adiciona outros de forma anacrônica ao retratar a inquietação social dos anos 1960 através da sensualidade e liberdade femininas representadas na tela pela condessa Frederique de Metzengerstein. A semelhança desta personagem com Barbarella, heroína erótica, intergaláctica e desprovida do moralismo social dos anos 1960, faz de Metzengerstein uma adaptação criativa que oferece ao espectador uma nova leitura do conto de Poe no século XX. Nesse contexto, utilizaremos como base teórica estudos de Vax (1974), Roas (2013), Cesarani (2006) e outros que abordam o fantástico a partir de outras modalidades estéticas além da teoria de Tzvetan Todorov (1975).

PALAVRAS-CHAVE: Fantástico. Conto. Filme. Metzengerstein.


Referências


BORDINI, MARIA DA GLÓRIA. O temor do além e a subversão do real. In: ______. Os preferidos do público. Os gêneros da literatura de massa. Petrópolis: Vozes, 1987.

CAHIR, Linda Constanzo. Literature into film: theory and practical approaches. United States of America: McFarland & Company, Inc., Publishers, 2006.

CESERANI, Remo. O fantástico. Tradução de Nilton Cezar Tridapalli. Curitiba: Ed. UFPR, 2006.

HUTCHEON, Linda. Beginning to theorize adaptation: What? Who? Why?How? Where? When?. In ______. A Theory of Adaptation. New York and London: Routledge, 2006.

LOVECRAFT, H.P. O Horror Sobrenatural em Literatura. São Paulo: Iluminuras, 2008. Tradução de Celso M. Parcionik.

METZENGERSTEIN. Direção: Roger Vadim. In: Histórias Extraordinárias. Itália – França: American International Pictures,1968. Color, 41 minutos.

MOLINO, Jean. Fantastique entre l'oral et l'écrit. Tradução de Ana Luiza Silva Camarani. Europe: Les fantastiquer, n. 611, p.3-122, 1980.

NOGUEIRA, Luís. Géneros Cinematográficos. Covilhã, Portugal: LabCom Books, 2010.

POE, E. A. Histórias Extraordinárias. Tradução de Brenno Silveira e outros. São Paulo: Abril Cultural, 1978.

ROAS, David. A ameaça do fantástico. Aproximações teóricas. São Paulo: Unesp, 2013.

STAM, Robert. Teoria e Prática da Adaptação: da fidelidade à intertextualidade. In: Ilha do Desterro, Florianópolis, nº51, p. 019-053, jul./dez. 2006.

TODOROV, Tzvetan. A narrativa fantástica. In: ______. As estruturas narrativas. São Paulo: Perspectiva, 1970.

TODOROV, Tzvetan. O discurso fantástico. In: ______. Introdução à literatura fantástica. São Paulo: Perspectiva, 1975.

VANNUCCHI, Juliana. Metempsicose e o conceito de reminiscência em Platão. 2016?. Disponível em: . Acesso em: 29 Jul. 2017.

VAX, Louis. A arte e a literatura fantásticas. Tradução: J. Costa. Lisboa: Arcádia, 1974. (Biblioteca Arcádia de Bolso).


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

QUALIS/CAPES - quadriênio 2013-2016B2 - ÁREA DE LINGUÍSTICA E LITERATURA

 

Indexadores de Base de Dados (IBDs) 
Bases de periódicos com texto completo: