O REENDEREÇAMENTO LITERÁRIO NA TRILOGIA DE CONTOS DE MURILO RUBIÃO

Haline Nogueira da Silva Domingues (UEM)

Resumo


Repensar as práticas de exteriorização e divulgação do material escrito arquitetado pelas editoras no cenário contemporâneo da literatura brasileira é de suma importância, principalmente no que concerne à categoria de produção juvenil. Nosso objetivo neste artigo é apresentar, destacar e analisar a trilogia de contos de Murilo Rubião, publicada em 2016 pela Editora Positivo, a partir do aporte teórico do reendereçamento literário, termo cunhado por Vera Teixeira de Aguiar e do fenômeno crossover, estudado por Beckett (2009). Os três livros, vendidos separadamente, são reembalados de maneira a ampliar o público quanto ao acesso da obra do escritor mineiro. Inserida nos moldes da literatura fantástica, tais obras podem atingir públicos de diferentes idades e operar como impulsionador do interesse dos jovens na leitura de uma literatura para adultos, devido ao trabalho de editoração gráfico e ilustrativo proporcionado pelo mercado crossover e pelas maneiras de reendereçamento. Para tanto, nossa metodologia de análise recairá sobre estudos da literatura juvenil, perpassando pelas questões editoriais e análise do projeto editorial da trilogia composta pelos contos O edifício; Bárbara e Teleco, o coelhinho.

PALAVRAS-CHAVE: Literatura juvenil. Murilo Rubião. Reendereçamento literário. Crossover.


Referências


AGUIAR, V. T de; MARTHA, A. A. P. Poesia infantil e juvenil contemporânea. In: SILVA, M.; NAVAS, D.; FERREIRA, E. A. G. R. (Org.). Produção literária juvenil e infantil contemporânea: reflexões acerca da pós-modernidade. São Paulo: Big Time Editora Ltda., 2017. p. 117-140.

BAUMAN, Zygmunt. Tempos líquidos. Tradução de Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Zahar, 2007.

BECKETT, S. Crossover fiction: global and historical perspectives. New York: Routledge, 2009.

CANDIDO, Antonio. O direito a literatura. In: ______. Vários escritos. São Paulo: Duas Cidades, 1995. p. 169-191.

CESERANI, Remo. O fantástico. Tradução de Nilton C. Tridapalli. Curitiba: UFPR, 2006.

DUARTE, Rodrigo. Teoria crítica da indústria cultural. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003.

GOULART, Audemaro Taranto. O conto fantástico de Murilo Rubião. Belo Horizonte: Lê, 1995.

HOHLFELDT, Antonio Carlos. O conto alegórico: conto brasileiro contemporâneo. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1981.

LACERDA, Nilma. Apresentação. In: RUBIÃO, Murilo. Teleco, o coelhinho. Ilustrações de Odilon Moraes. Curitiba: Positivo, 2016. p. 5-6.

LINDEN, Sophie Van der. Para ler o livro ilustrado. Tradução de Dorothée de Bruchard. São Paulo: Cosac-Naify, 2011.

MATIA, Katia Caroline de. A narrativa juvenil brasileira: entre temas e formas – o fantástico. 2017. 181 f. Tese (Doutorado em Letras) – Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2017.

RAMOS, G. A imagem nos livros infantis: caminhos para ler o texto visual. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2011.

RODRIGUES, Selma Calasans. O fantástico. São Paulo: Ática, 1988.

RUBIÃO, Murilo. O edifício. Ilustrações de Nelson Cruz. Curitiba: Positivo, 2016a.

RUBIÃO, Murilo. Bárbara. Ilustrações de Marilda Castanha. Curitiba: Positivo, 2016b.

RUBIÃO, Murilo. Teleco, o coelhinho. Ilustrações de Odilon Moraes. Curitiba: Positivo, 2016c.

SOARES, Magda. A escolarização da literatura infantil e juvenil. In: EVANGELISTA, Aracy Alves Martins; BRANDÃO, Heliana Maria Brina; MACHADO, Maria Zélia Versiani. A escolarização da leitura literária: o jogo do livro infantil e juvenil. Volume 2. Belo Horizonte: Autêntica, 2011. p. 17- 48.

SCHWARTZ, Jorge (Org.). Murilo Rubião. São Paulo: Abril Educação, 1982.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

QUALIS/CAPES - quadriênio 2013-2016B2 - ÁREA DE LINGUÍSTICA E LITERATURA

 

Indexadores de Base de Dados (IBDs) 
Bases de periódicos com texto completo: